Da Redação JM Notícia

Boneca criada por alunos para mostrar como praticar aborto. Professor que orientou o trabalho foi afastado.

A Secretaria Estadual de Educação do Paraná afastou os responsáveis pela exposição que mostrava como se suicidar, praticar aborto e ainda exibia Bíblias queimadas acusando padres e pastores de crimes sexuais. 

A exposição chocou moradores da cidade de Cambé, no Paraná, principalmente os alunos do Colégio Estadual Dom Geraldo Fernandes, no bairro Jardim Silvino. 

A denúncia contra a exposição partiu da mãe de um aluno que foi até a polícia registrar queixa depois de visitar o espaço onde as cenas estavam sendo exibidas. 

O caso repercutiu pelas redes sociais e chegou até autoridades como o senador Magno Malta, que tem investigado outras exposições de artes com conteúdo questionável. 

As investigações estão sendo realizadas pela Polícia Civil e pelo Núcleo Regional de Educação (NRE), para não prejudicar os trabalhos, o diretor da escola e o professor responsáveis foram afastados de seus cargos. 

Ao que tudo indica, a exposição foi produzida por alunos com a orientação do professor. As imagens mostram páginas rasgadas da Bíblia com manchetes de notícias sobre abuso sexuais cometidos por padres e pastores. 

Outras imagens mostravam o suicídio como “solução para seus problemas” com uma boneca enforcada. Outras bonecas ainda mostravam como cometer um aborto. 

A Assembleia Legislativa do Paraná também debateu o assunto, e o deputado Marcos Pacheco (PPL) chegou a formalizar um pedido de investigação ao Ministério Público Estadual.  

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.