Segundo Ricardo Ayres, lei é um dos maiores avanços do Município na coerção a ocupações irregulares na Capital Fotógrafo: Regiane Rocha

A implantação de loteamentos irregulares na Capital terá um alto custo para quem incorrer nesta infração. É que a Prefeitura de Palmas instituiu a Lei complementar 368/2017, publicada no Diário Oficial de 25 de outubro, com novas sanções e aumento da multa para quem construir loteamentos irregulares. A medida foi anunciada em coletiva pelo secretário de Desenvolvimento Urbano, Regularização Fundiária e Serviços Regionais, Ricardo Ayres, que anunciou também ações para regulamentação de loteamentos já consolidados.

Dentre as sanções previstas na Lei 368/2017, além da multa  para o loteador que pode chegar a 1.500 Unidades Fiscais de Palmas (UFIPS), o que equivale a mais de R$ 2 milhões, há ainda a responsabilização  dos profissionais que atuarem nesses loteamentos, como arquitetos, engenheiros, corretores imobiliários, dentre  outros.  Todas as sanções podem ser conferidas na íntegra da lei  aqui.

Segundo Ricardo Ayres, lei é um dos maiores avanços do Município na coerção a ocupações irregulares na Capital, uma vez que “ela vai tirar do lucro do loteador, tornando o negócio economicamente inviável. Estamos passando o valor de multa de R$ 12,00 para mais de R$ 2 milhões, para que deixe de ser vantajoso para o loteador”, afirmou, ao informar também que a Prefeitura deverá intensificar a fiscalização neste segmento.

VEJA TAMBÉM
“Prefeitura tem dinheiro para pagar professores”, diz Milton Neris

Ayres ressaltou ainda que  há uma preocupação  a Prefeitura em coibir as ocupações irregulares. “Nós estamos planejando o desenvolvimento da cidade com a revisão do Plano Diretor e não poderíamos deixar de atacar e enfrentar esse problema, agindo em duas frentes, que é a regularização de bairros já consolidados e aumentando a coerção para quem abrir novos loteamentos”, frisou.

Isenção de ITBI para regularização fundiária

Outra medida anunciada por Ayres foi a publicação da Lei Complementar Nº 393/2017, que isenta os proprietários de imóveis do pagamento do Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) no caso de áreas para fins de regularização fundiária. “A medida irá beneficiar famílias de loteamentos já consolidados, como o Setor Canaã, na região Sul de Palmas, bem como o Taquari, dentre outros, facilitando ainda mais o processo de regularização”, informou Ayres.

Praça dos Anjos

As famílias que residem na Praça dos Anjos, em Taquaralto, também foram beneficiadas com a publicação da Lei Complementar 389/2017, que instituiu a região como Zona Especial de Interesse Social (Zeis), permitindo a regularização dos imóveis através da concessão de direito real de uso e a doação definitiva dos imóveis, beneficiando mais de 40 famílias residentes no local há aproximadamente duas décadas.

VEJA TAMBÉM
Gestão dá exemplo de respeito aos cofres públicos, diz Folha sobre vitória na Justiça contra Santander

Buritirana

Imóveis no distrito de Buritirana também passarão a ser regulares perante o Município. Neste caso a LEI Complementar 390/2017 autoriza a Prefeitura a “regularizar áreas públicas ocupadas no distrito de Buritirana, mediante a alienação de lotes unifamiliares”. Trata-se de imóveis doados pelo poder público em outros anos, mas que não tiveram a doação regulamentada, impedindo os beneficiários de terem a documentação e a posse definitiva desses bens.

COMPARTILHAR