Da Redação JM Notícia

Pastor Eliude Amaral deverá passar por uma sabatina antes de ser aprovado para o cargo

Seguindo a recomendação judicial do Tribunal de Justiça da Bahia, a Convenção Estadual das Assembleias de Deus na Bahia (CEADEB) indicou um novo nome para a presidência da Assembleia de Deus de Salvador (ADESAL). O pastor escolhido foi Eliude Amaral que agora será sabatinado pelo ministério local em substituição ao pastor Israel Alves Ferreira que foi destituído do cargo.

A indicação de um novo pastor abre mais um capítulo na história de divisão da ADESAL com a CEADEB, problema que se iniciou em 2010 com a saída de vários pastores da convenção após uma série de acusações de ambos os lados.

 O caso resultou na ruptura dos pastores com a CEADEB e com a abertura de um processo judicial que foi julgado na semana passada pelo Tribunal de Justiça da 5ª Câmara Civil do Estado da Bahia.

Pastor Israel Alves Alves Ferreira, ex-presidente da ADESAL

A Justiça, então, entendeu que o presidente da ADESAL deve ser indicado pela Convenção CIADEB, destituindo assim o pastor Israel Alves Ferreira e pastor José Pereira Lima dos cargos de presidente e vice-presidente da igreja, e autorizando a convenção a lançar um novo nome para assumir o cargo.

Procurador da Convenção explica a versão da CIADEB 

O pastor Cleovaldo Batista, procurador da Convenção Estadual das Assembleias de Deus na Bahia (CEADEB), esclareceu os pastores da Bahia sobre as recentes polêmicas envolvendo a decisão judicial que autorizou a destituição do pastor Israel Alves Ferreira, presidente da Assembleia de Deus de Salvador (ADESAL).

Em um áudio enviado aos pastores, Batista criticou a divisão na igreja, divisão esta que começou em 2010 com a saída de vários pastores da CEADEB, desfilhando também a ADESAL e criando uma nova convenção, a CONFRAMADEB (Convenção Fraternal dos Ministros da Assembleia de Deus no Estado da Bahia).

Segundo o pastor, a Igreja de Salvador sempre sofreu com a divisão, porém a Igreja da Bahia vai além da capital e das cidades da região Sul. Ele ainda refuta as informações usadas pelos pastores dissidentes, reafirmando que de fato houve o não pagamento da taxa de 5% que é utilizada pela convenção para pagar o salário de pastores jubilados e viúvas.

VEJA TAMBÉM
Pastor Wellington Júnior vai à Bahia participar de evento da CEADEB

“Eu pergunto: e as viúvas, e os jubilados que ficaram sem qualquer amparo durante este tempo? Isso é cristianismo? Muitos acreditaram nesta conversa, mas temos provas”, declarou.

Como procurador da CEADEB, o pastor Cleovaldo Batista declarou que a convenção tentou negociar com o pastor Israel, para evitar a divisão da igreja, porém não teve sucesso. “Por diversas vezes a convenção chamou o pastor Israel para conversar, prometeu perdoar a dívida, congelar os débitos, tudo isso para não tivesse divisão”, revelou.

Porém as partes não chegaram e um acordo, e, ainda segundo Batista, uma nova versão dos fatos foi divulgada culpando a convenção de querer comandar os templos da capital. “Mentira, ele queria dividir e os argumentos variavam”, completou o procurador se referindo ao pastor Israel.

 Ouça:

 

ENTENDA

O Tribunal de Justiça da 5ª Câmara Civil do Estado da Bahia, por unanimidade, destituiu o pastor Israel Alves Ferreira e pastor José Pereira Lima dos cargos de presidente e vice-presidente da Assembleia de Deus de Salvador (ADESAL). A decisão foi disponibilizada no site do TJ-BA nesta quinta-feira (09).

A ação que resultou na destituição do pastor Israel Alves Ferreira da presidente da ADESAL, foi motivada pela Convenção Estadual das Assembleias de Deus na Bahia (CEADEB), presidida pelo pastor Valdomiro Pereira da Silva.

De acordo com informações repassadas ao JM Notícia, o referido processo já dura cerca de sete anos, e se refere ao desligamento do pastor Israel Alves Ferreira que deixou a CEABEB para criar uma nova convenção (CONFRAMADEB) no Estado da Bahia.

VEJA TAMBÉM
Presidente da CEADEB pede retorno do pastor Israel Alves

Pastor Israel Alves Ferreira, então presidente à época, solicitou em junho de 2010, o seu desligamento junto à CEADBEB, e criou a CONFRAMADEB. Posteriormente, já na condição de ex-filiado à CEADEB,  convocou assembleia extraordinária para deliberar o desligamento da ADESAL junto à CEABEB.

Entretanto, o estatuto da ADESAL, preceitua que para presidir a referida igreja, o pastor presidente tem que ser filiado à CEADEB, conforme descrito abaixo:

Art. 6º – A Igreja será administrada por uma Diretoria composta de 07 (sete), membros que ficará assim constituída: Presidente (que é o pastor Igreja, indicado pela CEADEB e apreciado pelo ministério local.

Art. 54 – A CEADEB indicará um dos seus ministros à presidência da ADESAL, cuja indicação será apreciada pelo Conselho Ministerial.

Após analisar os autos, o Tribunal de Justiça da Bahia, reconheceu que o pastor Israel Alves Ferreira e o pastor José Pereira Lima, quando deliberam a saída da CEADEB não preenchiam mais os requisitos para ocuparem o cargo de presidente e vice-presidente da ADESAL, ou seja, os seus atos eram nulos de pleno direito.

Em sua decisão, a desembargadora Ilona Márcia Reis, relatora, declarou a perda automática do cargo de presidente e vice-presidente da ADESAL, e determinou que a CEADEB, possa indicar o novo presidente da ADESAL, condicionando à aprovação pelo ministério local, conforme o estatuto.

Pastor Abiezer Apolinário da Silva, é um dos homens da confiança do pastor José Wellington Bezerra da Costa, ex-presidente da CGADB

O presidente do Conselho jurídico da CGADB, pastor Abiezer Apolinário da Silva, é o advogado que defende o ex-presidente da ADESAL, pastor Israel Alves Ferreira. O mesmo presidida a entidade há 13 anos.

A posse do novo presidente deve ocorrer nos próximos dias.

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.