Por Rafael Miranda

Vereador Lúcio Campelo – Foto: Lourenço Bonifácio 

Nessa semana, repercutiu na capital o caso da dona de casa Josivania Rodrigues, moradora da região sul de Palmas, que está sem trabalhar há dois anos por não conseguir vagas nas creches para seus quatro filhos. O vereador Lúcio Campelo (PR) vem acompanhando a realidade das creches e solicitou desde o final de outubro, todos os dados da Secretaria de Educação sobre o quantitativo de vagas e a lista de espera com o cadastro das crianças.

Contudo, a prefeitura de Palmas tem se negado a repassar as informações para a Câmara Municipal, atrapalhando a atividade legislativa e fiscalizadora dos vereadores. A respeito da educação, existe um déficit de mais de 1.300 vagas só em Palmas, e o vereador Lúcio Campelo tenta soluções para o problema, mas esbarra na gestão Amastha.

O problema é que o prefeito Carlos Amastha atrasou a conclusão de sete CMEI’s que seriam entregues esse ano, de olho nas eleições estaduais de 2018, na tentativa de se promover fazendo uso da máquina pública. Isso não é aceitável, e a população não merece passar por essas dificuldades, só para satisfazer a sede de poder desse prefeito”, disparou Lúcio Campelo.

VEJA TAMBÉM
Siqueira destaca importância de parceria entre Câmara e Senado em benefício dos vereadores

Sobre a quantidade de vagas que estão em falta, o vereador chama atenção para o quantitativo que pode ser ainda maior. “Como a prefeito Amastha não fornece as informações que nós vereadores solicitamos, é impossível saber exatamente quantas vagas ainda faltam na Capital, a realidade então pode ser ainda pior.”

A respeito do caso de Josivânia, a mãe contou que sai mais em conta para o orçamento da família, que ela mesmo cuide dos filhos, ao invés de contratar uma babá, fazendo com que a única renda familiar venha do trabalho de seu marido. O dilema de Josivânia é o mesmo de muitas famílias na Capital, pois agora as inscrições para os creches estão abertas, contudo, milhares irão ficar sem o atendimento.

Campelo ainda criticou a falta de compromisso do secretário Danilo de Melo, que não tem priorizado investimentos para a educação. “O serviço das creches é essencial, muitas famílias dependem desses locais para deixar seus filhos enquanto estão trabalhando. Elas não tem condições financeiras de pagar alguém para cuidar. Será que o secretário Danilo de Melo não consegue ver isso? Falta compromisso social para esse cidadão que ainda se diz professor, mas que não cuida em nada da educação palmense”.

VEJA TAMBÉM
Cláudia promete políticas sociais a moradores do Taquari e Capadócia e diz que região está esquecida pela prefeitura

E não de hoje que se tenta resolver o problema das creches em Palmas, comenta o vereador. “Ano passado, a Defensoria Pública entrou com uma Ação Civil Pública contra a prefeitura de Palmas solicitando com urgência a ampliação do número de vagas para, mas novamente a gestão ignorou os apelos da Defensoria”.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.