Da Redação JM Notícia

Foto: Pixabay

Consumidores brasileiros que tentaram comprar produtos durante a Black Friday encontraram muitas fraudes e reclamaram no site Reclame Aqui que recebeu 6.977 queixas, média de 1,3 por minuto. 

As reclamações foram computadas entre as 18h da quinta-feira (23) até o meio-dia desta segunda-feira (27). O número de 2017 é maior que as 5.281 reclamações feitas durante a Black Friday do ano passado. 

A maioria das queixas são de propaganda enganosa, empresas que modificam o valor real do produto e oferecem descontos que, muitas vezes, vendem o produto pelo preço original dele ou até mesmo maior. 

O segundo caso mais denunciado foi problemas com a finalização da compra que foi a reclamação feita por 10,3% dos consumidores. Já a divergência de valores correspondeu a 7,3% das reclamações realizadas. 

A empresa com o maior número de reclamações no site foi a Americanas.com, com 567 queixas, seguido pela Maganize Luiza, KaBum!, Submarino, Casas Bahia, Netshoes, Americanas Marketplace, Extra, Burger King e WalMart. 

  

Procon também registra reclamações 

O Procon-SP também recebeu reclamações, foram 379 queixas até as 21h da sexta-feira. As principais reclamações falavam de maquiagem de descontos, que são os casos onde a promoção sobre o preço do produto não é real. 

Apesar de todas essas estratégias fraudulentas adotadas por grandes marcas, muitos consumidores reclamaram a falta de produtos e outros da mudança de valor na hora de finalizar a compra.