Da Redação JM Notícia

Privatização da Eletrobras é prioridade no governo Temer

O principal programa de privatização do governo de Michel Temer enfrentará a oposição de um grupo formado por 406 deputados e quatro senadores que se juntaram contra a desestatização da Eletrobrás. 

Três frentes parlamentares foram criadas, sendo duas delas contra a privatização de subsidiárias da Eletrobras (Furnas e Chesf), e uma em defesa do setor elétrico que tem sido negociado com a China. 

A proposta do governo pretende atrair R$ 12 bilhões ao Tesouro em 2018. Inicialmente o modelo de privatização chegaria ao Congresso através de uma medida provisória, mas Temer optou por tratar o assunto como projeto de lei. 

O Partido dos Trabalhadores (PT), maior oposição ao governo, tem 56 parlamentares nas frentes contra a privatização da Eletrobrás, o PMDB, partido do governo, conta com 52 nomes. 

Todavia, estar nessas frentes não é certeza de que o parlamentar irá votar a contra a desestatização. Ao longo do caminho do projeto de lei, o governo pode conseguir convencer um grande número de parlamentares, assim como fez com a reforma trabalhista e com está fazendo com a reforma da Previdência. 

  

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.