Da Redação JM Notícia

Diversos líderes evangélicos aprovaram a decisão dos Estados Unidos de reconhecerem Jerusalém como capital de Israel e mudar sua embaixada para a cidade, tanto que alguns pedem para que o Brasil siga o exemplo e também tire sua embaixada de Tel Aviv. 

O deputado evangélico Jony Marcos (PRB-SE), presidente do Grupo Parlamentar de Amizade Brasil-Israel, declarou à BBC Brasil que o país tem que seguir Donald Trump nessa decisão. 

“É um movimento importante para que o Estado de Israel se firme, para que o povo judeu se firme, anunciando para o mundo que Jerusalém historicamente sempre foi a cidade santa dos judeus e do cristianismo”, declarou. 

Marcos pretende, assim que o recesso parlamentar acabar, isso no início do próximo ano, mobilizar os 77 parlamentares que fazem parte da frente para realizarem uma reunião no Itamaraty para cobrar a posição do governo brasileiro. 

Itamaraty é contra Israel 

A Frente Amizade Brasil-Israel já se reuniu com o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, anteriormente, e também com seu antecessor, o senador José Serra, nas vezes que o país votou contra Israel nas reuniões da ONU. 

Na mais recente delas, a posição do Brasil seguiu os pedidos dos países árabes e condenaram a postura de Israel frente a territórios e locais sagrados palestinos. 

Jerusalém é disputada por judeus e palestinos desde 1948, com a região ocidental sendo governada por Israel e a oriental pela Jordânia. Porém em 1967, com a Guerra dos Seis Dias, Israel tomou parte da área oriental da cidade e vem erguendo assentamentos ali, sendo este o principal motivo das guerras na região.