Da Redação JM Notícia

Templo está todo coberto e em breve será aberto para receber os fiéis na cidade de Bafatá, interior de Guiné-Bissau

A construção de uma igreja evangélica em Bafatá, cidade localizada no interior de Guiné-Bissau, é o exemplo de que o Evangelho está crescendo no país localizado na África Ocidental. O trabalho de missões é realizado pela Junta de Missões Mundiais, da Igreja Batista do Brasil, também responsável pela construção do novo templo que já está completamente coberto.

O missionário Freddy Ovando, responsável pelo campo, declarou que esses dias foram de muito trabalho, mas estão vendo a vitória dada por Deus com o encerramento da obra se aproximando.

“Conseguimos concretar o local que será usado como altar, com um novo batistério, agora dentro da própria igreja. Os membros estão muito contentes com a construção”, conta Freddy Ovando, que agradece as orações e contribuições para a obra missionária em Guiné-Bissau.

É na mesma cidade de Bafatá que funciona a Clínica Batista, onde a esposa de Freddy, a missionária e dentista Elaine Ovando, realiza atendimentos básicos e encaminhamentos na área de saúde.

Aproveitando a oportunidade, a missionária também evangeliza aqueles que precisam de ajuda. Um dos casos mais recentes foi de uma mulher doente, recebeu uma palavra, se converteu e ficou curada. “Ela relatou que não tinha mais forças para continuar lutando pela vida. Elaine falou de Jesus para aquela mulher, que se converteu”, disse.

VEJA TAMBÉM
Voluntários batistas levam ajuda ao Oriente Médio

Um homem muçulmano, bastante influente na região, também teve problemas de saúde e foi curado após ser medicado na clínica. “Ele procurou a Clínica Batista devido a problemas de saúde. Estava com muita dor e secreção nos olhos. Após medicação e consulta, a esposa dele veio nos contar que ele já está bem melhor”, relata o missionário.

Além do trabalho com a igreja e a clínica, os missionários também mantêm a Escola Batista, onde além de enfrentar os problemas de aprendizagem, os professores precisam enfrentar os problemas espirituais dos alunos, muitos deles tiveram ataques satânicos recentemente, desmaiando nas aulas.

“Peço que ore por uma adolescente que foi atacada por um espírito maligno e, após ser liberta, nos relatou que o inimigo se apresentou para ela em forma de mulher branca que queria ser sua amiga. Ela não aceitou e ficou endemoniada. Tivemos a oportunidade de falar de Jesus para ela, e a nossa oração é que se converta”, narra Freddy Ovando.