Da Redação JM Notícia

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), até que tentou convencer o deputado estadual Ricardo Ayres (PSB), a disputar uma cadeira em 2018 na Câmara dos Deputados, no entanto, Ayres que tem uma reeleição a princípio tranquila, refutou a proposta e  não quis deixar o certo pelo duvidoso.

Vereador de Palmas, Tiago Andrino (PSB) – Foto: Divulgação

Acontece que a executiva nacional do PSB de Carlos Amastha, está exigindo que a legenda eleja deputados federais em todos os Estados. Sem muitas opções para a missão, sobrou para o vereador Tiago Andrino (PSB), fiel escudeiro de Amastha na Câmara de Palmas, que estaria com uma eleição de deputado estadual praticamente certa. No entanto, Ele terá que ir para o sacrifício e arriscar uma cadeira de deputado federal em 2018, uma missão nada fácil. Andrino é o suplente de deputado federal e na última eleição obteve 36.397 votos.

O JM Notícia entrou em contato com o vereador Tiago Andrino (PSB), no entanto, ele não atendeu as ligações do portal.

Mesmo grupo

É uma conta que não bate. Andrino e Adir Gentil, presidente do Podemos, irão disputar uma cadeira na Câmara dos Deputados na mesma coligação. Acontece que o grupo é o mesmo, ou seja, a conta não fecha nem para eleger um deputado federal. Gerson da Mil Coisas (PSL), vereador de Palmas, foi chamado para ajudar na missão e contribuir para elegerem um federal. Mas, será se fecha a conta?

Galdino

O ex-deputado federal Edmundo Galdino passou a compor com o grupo que deve apoiar a eleição do prefeito de Palmas. Será se vai ser convidado a disputar uma cadeira de deputado federal?

Igreja Quadrangular

Vereador Wagner Enoque (PRB)

A Igreja do Evangelho Quadrangular que possui mais de 30 mil evangélicos no Estado, quer eleger um deputado estadual no Tocantins em 2018. O líder da igreja no Estado, Bispo Guaracy Silveira, trabalha nos bastidores para eleger o vereador de Araguaína, Wagner Enoque (PRB), membro da denominação.

Câmara de Palmas

VEJA TAMBÉM
Andrino critica Temer nas redes sociais e dispara: “O Brasil sofre um retrocesso”

Corre nos bastidores da política tocantinense, que haverá mais “desembarque” da base do prefeito Amastha. Com isso, o número de vereadores oposicionista deve aumentar para onze.

COMPARTILHAR