Da Redação JM Notícia

Nesta quinta-feira (21) os países membros da Organização das Nações Unidas (ONU) realizou uma Assembleia Geral para votar uma resolução que condena o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel.

A decisão dos Estados Unidos em mudar sua embaixada para Jerusalém tem gerado grandes impasses diplomáticos, tanto que o presidente americano Donald Trump ameaçou cortar ajuda financeira dos países que votarem contra Israel.

Mas mesmo com as ameaças os EUA perderam, dos 193 países, 128 votaram a favor da resolução, entre eles o Brasil que mais uma vez vota contra Israel e a favor dos palestinos.

Apenas nove países votaram contra: Guatemala, Honduras, Ilhas Marshall, Micronésia, Nauru, Palau, Togo, Estados Unidos e Israel.  E 35 países se abstiveram da votação, entre eles Argentina, Austrália, Canadá, Croácia, Colômbia, Hungria, Letônia, México, Filipinas, Panamá, Paraguai, Polônia e República Tcheca.

Com a decisão, a embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, ameaçou: “Esse dia será lembrado”. Os EUA não irá esquecer os países que votaram a favor da resolução e prometeu colocar a embaixada em Jerusalém, mesmo com os protestos.

VEJA TAMBÉM
Deputados evangélicos repudiam voto do Brasil contra Israel

“A América colocará nossa embaixada em Jerusalém”, disse. “Nenhum voto nas Nações Unidas fará qualquer diferença nisso”, completou Haley.