Da Redação JM Notícia

Vereador do PV, Djalma Araújo anuncia rompimento

O vereador Djalma Araújo (PV) declarou com exclusividade ao JM Notícia que rompeu com a base do prefeito de Porto Nacional, Joaquim Maia (PV). Apesar de serem do mesmo partido, os políticos não terão mais aliança política, pois o vereador quer liberdade para votar segundo suas convicções.

De acordo com Araújo, vários fatores fizeram o parlamentar tomar a decisão, o principal deles é que Djalma acreditou que teria voz e autonomia por ter apoiado a candidatura de Maia nas eleições de 2016, mas não foi isso que aconteceu.

“Quando ele veio aqui na minha residência [antes das eleições] eu segurei em sua mão e disse: ‘Eu não largo mais não, assim vamos firme até a nossa vitória porque eu acredito que o senhor será eleito em Porto Nacional'”.

Porém, Djalma realizou uma reunião com alguns apoiadores na época e o prefeito Joaquim  Maia, então candidato a prefeito à época, não teria gostado daquele encontro. “Isso  causou muito desconforto [entre o partido] e minha cabeça quase rolou”.

VEJA TAMBÉM
Em grande encontro com familiares, Joaquim Maia recebeu apoio à sua pré-candidatura a prefeito

Depois da eleição, o prefeito não deu um tratamento que ele esperava. Fora isso, várias votações na Câmara que eram de interesse do Executivo passaram, outras porém foram vencidas e o prefeito jogou a culpa na base.

“Eu sempre mantive o meu posicionamento”, declarou Djalma diante de todos os problemas que a base enfrentou ao longo deste ano. “Agora no final do ano veio uma votação mais pesada, não é fácil votar em uma matéria como aquela”, declarou ele sem citar qual foi o tema.

“Eu quero sair da base para ter liberdade para votar”, completou o parlamentar que agora seguirá uma linha independente para poder votar segundo a sua consciência.

Com o rompimento de Djalma Araújo, os vereadores independentes/oposição na Casa de Leis em Porto Nacional somam sete parlamentares de um total de 13 no próximo ano, já que a oposição conseguiu eleger o próximo presidente da Câmara.

COMPARTILHAR