Da Redação JM Notícia

Homens, idosos, negros e pardos lideram a lista de analfabetos no Brasil

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou esta semana parte da Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) e aponta que há 11,8 milhões de analfabetos no Brasil, correspondendo a 7,2% da população de 15 anos ou mais.

A maior taxa de analfabetismo está no Nordeste do país com 14,8%, a segunda maior taxa está no Norte com 8,5%, seguida pelo Centro-Oeste 5,7%, Sudeste 3,8% e Sul com 3,6% da população.

Outro dado revelado pela pesquisa é que a maioria dos analfabetos no país são negros e pardos, já em relação ao gênero, a quantidade e homens analfabetos é maior que a de mulheres.

Quando separados por idade, fica provado que a maioria (20,4%) são pessoas com mais de 60 anos. Em seguida está o grupo de mais de 40 anos (12,3%), maiores de 25 estão em terceiro (8,8%), seguidos por maiores de 18 anos (7,7%) e, por fim, maiores de 15 anos (7,2%).

“Há uma questão estrutural do analfabetismo. Ele está muito mais presente entre a população idosa. O que vemos é algo histórico, mais concentrado em uma população mais velha”, diz a pesquisadora do IBGE, Marina Aguas.

VEJA TAMBÉM
“Arca de Noé” chega ao Brasil nas Olimpíadas

Segundo a pesquisadora, essa taxa “irá diminuir à medida que essa população mais velha for morrendo”. Ela aponta ainda que hoje há mais crianças nas escolas o que explicaria que o grupo com 15 anos ou mais ser o público com menor taxa de analfabetismo.

Ensino Fundamental 

Outro ponto tratado pela Pnad Contínua é que 51% da população de 25 anos ou mais tem somente até o Ensino Fundamental completo. Enquanto que 26,3% desse mesmo grupo tem o Ensino Médio Completo, e o Ensino Superior foi completado por apenas 15,3%.

O Sudeste é a área com maior número de anos de escolarização (8,8 anos) e o Nordeste aparece em último lugar deste indicador, com média de 6,7 anos de estudo.

Governo não cumpriu a meta 

O Plano Nacional de Educação (PNE) tinha como meta intermediária reduzir o analfabetismo de maiores de 15 anos para 6,5%, o que não aconteceu. A pesquisa do IBGE aponta ainda um alerta para a lei brasileira que visa erradicar o analfabetismo do Brasil até 2024.

Esta é a primeira edição da Pnad Contínua para o suplemento de Educação, por conta da metodologista utilizada, os dados não pode sem comparados ao Pnad do ano passado.

VEJA TAMBÉM
Júnior Geo convida para aulão beneficente para ajudar professores do município

A pesquisa anterior, mostrava um país com 12,9 milhões de analfabetos, representando 8% da população com mais de 15 anos.