Da Redação JM Notícia

Países da ONU votaram contra Israel e o reconhecimento de Jerusalém como sua capital

O tribunal do novo Sinédrio de Israel, formado por 71 anciãos, enviou um recado para as nações que votaram nesta quinta-feira (21) sobre o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel. 

A declaração clamava para os que países assumissem seu papel profetizado na construção de Jerusalém e não votassem contra seu reconhecimento, pois o memento é importante para determinar se os países serão abençoados ou amaldiçoados. 

O Sinédrio usa o versículo de Isaías 11:9 para declarar que quem é contra Israel não receberá a benção de Deus. O versículo diz: “Ninguém fará nenhum mal, nem destruirá coisa alguma em todo o meu santo monte, pois, a terra se encherá do conhecimento do Senhor como as águas cobrem o mar”. 

Ao comentar, os rabinos disseram que As nações devem aproveitar esta oportunidade para avançar em seu papel esperado na construção da Casa de Deus em Jerusalém, a Casa da Paz Universal, no Monte Moriá, conforme foi profetizado na Bíblia, para obtermos a tão esperada paz mundial”. 

O texto foi lançado após resultado da ONU que por 128 a favor e 9 contrários aprovou uma resolução que tenta impedir o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel. “As nações que agora vêm contra Jerusalém… estão escolhendo seu próprio destino e verão o julgamento vindo do céu… Enfatizamos que esta votação não afeta as profecias relativas a Jerusalém como a Cidade de Deus, pois a Palavra de Deus é eterna. É o destino de Jerusalém é ser uma Luz para as Nações”, disseram os rabinos. 

O porta-voz do Sinédrio, rabino Hillel Weiss, citou indiretamente o versículo de Gênesis 12:3 ao dizer: “Todo mundo que já leu a Bíblia sabe que se você abençoar Israel, será abençoado, mas se amaldiçoar Israel, será amaldiçoado”. 

Para o líder religioso, as votações na ONU mostram os sentimentos dos países em relação a Deus. “Israel é a ferramenta de Deus neste mundo para testar os corações dos homens. Por suas ações contra Israel, homens e até países inteiros, mostram seus sentimentos em relação a Deus. Agora, cada país está sendo convocado a mostrar isso”.