Da Redação JM Notícia

Sem maioria na Câmara, Amastha “segura” a votação do orçamento

Faltando apenas quatro dias para encerrar o ano letivo, a Câmara Municipal de Palmas, comandada pelo vereador José do Lago Folha (PSD) ainda colocou em votação a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). A previsão orçamentária para o próximo ano é de R$ 1,322 bilhão, sendo que a estimativa para este ano foi de R$ 1,316 bilhão, um crescimento de R$ 6,389 milhões.

O projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2018 foi encaminhado pela Prefeitura de  Palmas à Câmara no último dia 5, no entanto, a pedido do prefeito Carlos Amastha (PSB), a votação ainda não aconteceu, tendo em vista, que o Paço não possui maioria para aprovar o orçamento da forma como o gestor deseja.

Segundo um parlamentar ao JM Notícia, o vereador Folha Filho tem a prerrogativa de colocar o orçamento em votação, entretanto, Amastha tenta a adesão de mais um voto da oposição para garantir a aprovação do orçamento.

Em nota à imprensa, o vereador Folha Filho colocou a “culpa” em uns vetos:

VEJA TAMBÉM
Requerimentos de Diogo Fernandes são aprovados na Câmara Municipal
Vereador Folha (PSD), presidente da Câmara e aliado do prefeito Amastha (PSB)

“Tem uns vetos trancando a pauta e não está havendo acordo para a votação. Não conseguimos, mas estamos conversando. Este é o primeiro ponto, depois tem que votar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)”, disse Folha.

Já o vereador Diogo Fernandes afirmou que a votação da LDO depende do presidente: “Ele é o presidente, porque ele não pautou [a LDO]?”, questiona. “Se ele é o presidente da Câmara ele deve pautar, depende dele. Será que ele não pauta porque não vai passar do jeito que ele quer?”,  questiona.

COMPARTILHAR