Ministro do Trabalho, pastor Ronaldo Nogueira, pede demissão do Governo de Temer

O ministro do Trabalho, pastor Ronaldo Nogueira (PTB-RS), membro da Assembleia de Deus pediu demissão do cargo nesta quarta-feira, 27.  A saída de Nogueira do cargo foi confirmada pelo Palácio do Planalto após reunião dele com o presidente da República, Michel Temer.   O substituto será o deputado Pedro Fernandes (PTB-MA)

Nogueira volta à Câmara dos Deputados, onde retoma seu mandato pelo PTB do Rio Grande do Sul. Ele comandava o Ministério do Trabalho desde maio de 2016.

O último ato de Nogueira no cargo foi a divulgação dos dados de novembro do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que mostram o fechamento de 12 mil postos de trabalho.

Durante a gestão de Nogueira, entrou em vigor a nova lei trabalhista. Considerada pelo governo umas das mais importantes medidas de estímulo à geração de empregos, a reforma só foi aprovada após muita resistência da oposição e em meio a polêmicas sobre as mudanças na lei.

“Sentimento de dever cumprido”, diz Nogueira em carta de demissão

Em carta entregue a Michel Temer, a quem chama de “estimado amigo”, Nogueira afirma que “há passagens na vida de um homem que marcam definitivamente a sua história”, sendo uma delas a oportunidade de servir ao Brasil como ministro do Trabalho sob a gestão de Temer.

VEJA TAMBÉM
Temer oferece café da manhã aos líderes da CGADB

Nogueira diz ter o “sentimento de dever cumprido” por ter aprovado a reforma trabalhista. Segundo ele, “75 anos de imobilismo” foram quebrados e “o futuro finalmente chegou em terras brasileiras”. “Como resultado de tudo isso, vemos a ampla retomada da empregabilidade, a maior de todas as preocupações desse governo que até a data de hoje tive a honra de participar”, escreve.

Nogueira, então, justifica o pedido de exoneração para participar do pleito de 2018 e informa que, enquanto isso, voltará ao mandato de deputado na Câmara dos Deputados. “Como decidi que apresentarei meu nome à elevada apreciação do povo gaúcho nas eleições do ano que vem, e de forma coerente com aquilo que sempre preguei, venho por meio desta pedir minha exoneração do cargo de Ministro de Estado do Trabalho […] Pelo Rio Grande e pelo Brasil seguiremos irmanados nessa mesma luta. Com meus mais sinceros votos de apreço, admiração e respeito, subscrevome cordialmente”, diz.

Nogueira assumiu a pasta em 12 de maio do ano passado, dia em que Temer assumiu a Presidência por conta do afastamento da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) pelo Senado.

VEJA TAMBÉM
Temer oferece café da manhã aos líderes da CGADB

Pedro Fernandes assume ministério Também do PTB

O deputado federal Pedro Fernandes (MA) vai substituir o correligionário.

Aos 68 anos, ele é engenheiro civil e bancário, e não pretende disputar eleições no ano que vem. O maranhense está no quinto mandato consecutivo na Câmara dos Deputados, na qual ingressou em 1999.

Fernandes é o vice-presidente de Relações Corporativas da Executiva Nacional do PTB. De acordo com sua biografia no site da Câmara, Fernandes foi engenheiro do Banco de Desenvolvimento do Maranhão entre 1975 e 1982, e presidiu a Companhia de Limpeza e Serviços Urbanos de São Luís, de 1989 a 1992.

O novo ministro do Trabalho também foi secretário municipal de Obras e Transportes e de InfraEstrutura da capital maranhense, entre 1993 e 1995, além de ocupar as Secretarias de Cidades e de Educação do Governo do Estado, de 2011 a 2014.  Com informações Exame e Folha UOL