Mesmo com a presença da maioria de vereadores na Câmara de Palmas, a sessão extraordinária convocada para esta sexta-feira, 29, não ocorreu porque os funcionários da Casa foram liberados. Departamento de som, vídeo, legislativo e outros não estavam na Câmara porque teriam sido liberados verbalmente pelo presidente, vereador Folga Filho (PSD), inviabilizando os trabalhos, o que foi caracterizado como falta de respeito e “boicote”.
A sessão extraordinária foi convocada pelos vereadores da oposição para a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias 2018, a qual já passou pelas comissões internas e liberada para votação em plenária. Fizeram – se presentes os vereadores Vandim do Povo, Milton Neris, Rogério Freitas, Filipe Fernandes, Léo Barbosa, Ivory de Lira, Lúcio Campelo, Marilon Barbosa, Diogo Fernandes e Júnior Geo.
Na posição de primeiro secretário, o vereador Rogério Freitas destacou que a convocação é para toda a Câmara, não somente para os vereadores. “Estamos aqui para cumprir o nosso papel e infelizmente estamos sendo impedidos de legislar, a Câmara não poderá sair em recesso enquanto não votar a LDO”.
Milton Neris lembrou que a LDO deveria ser votada antes do recesso e acrescentou, “Infelizmente a visão do presidente não é a visão de quem precisa conduzir uma casa com 19 vereadores, a visão dele está sendo de ser uma pessoa submissa ao prefeito de Palmas, que é um prefeito virtual que não tem compromisso com a cidade, nem com a sociedade. Hoje estamos  aqui demonstrando claramente o compromisso que a gente tem, estamos prontos pra votar, convocamos, cumprimos o nosso papel e infelizmente esse boicote de não permitir que os funcionários da Casa estejam aqui, embora estejam recebendo pra isso é vergonhoso”.
O vereador Filipe Fernandes demonstrou sua chateação com a falta de respeito ocorrida e disse esperar que no próximo ano as pessoas possam refletir suas ações no ano eleitoral não deixando-se levar por falsas promessas. “A demonstração da nova política foi feita ao sermos boicotados e não termos o direito que é regimental de votar a LDO”.
O vereador Vandim do Povo parabenizou o vereador Marilon Barbosa por se juntar à oposição. “Aqui tem 10 homens sérios que querem o bem dos palmenses”. Para Vandim, agora com 10 integrantes, a oposição tem condições de fazer um bom trabalho, ele espera que o grupo permaneça unido.
Conforme o regimento interno da Casa, “As Sessões da Câmara Municipal serão: § 1° A Sessão Extraordinária será convocada pelo Presidente da Câmara, de ofício, por
solicitação dos líderes, ou pela maioria dos Vereadores, em caso de urgência ou interesse público relevante”.
Rogério Freitas explica que a Lei passou pelas comissões tendo em seu texto a possibilidade de remanejamento de 5% por parte do Executivo Municipal. Outra proposta, foi a destinação de 30% do Orçamento para a Educação, o que não agrada o prefeito Carlos Amastha ocasionando o recuo da base na Casa de Leis.
COMPARTILHAR