Da Redação JM Notícia

Os moradores de Palmas terão um aumento de 25% no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) em 2018 por conta de um reajuste da Prefeitura que gerou muitos debates e muita briga na Justiça.

Um dos maiores críticos a este aumento é o vereador Lúcio Campelo que pretende ingressar com Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) o mais breve possível para impedir que a nova cobrança seja aplicada e venha a prejudicar as famílias palmenses.

O vereador contesta a informação da Prefeitura sobre a retirada dos redutores, alegando que essa redução foi diminuída para aumentar o cálculo do IPTU. “A questão dos redutores atinge todo mundo. Para fazer engodo, o [prefeito] Carlos Amastha deixou a mesma planta genérica nesta região dos Aurenys, ficou sem mexer, mas fez alteração, diminuiu, aumentando o valor do imposto do terreno”, declarou.

Como oposição, Campelo lembrou que seus colegas na Câmara diagnosticaram que algumas áreas poderiam ter o imposto aumentado em até 75%. O aumento foi contestado judicialmente, mas a Prefeitura acabou ganhando e os palmenses sentirão no bolso o aumento acima da inflação.