Da Redação JM Notícia

A reportagem do G1 com transgêneros evangélicos que são aceitos nas chamadas igrejas inclusivas e ainda possuem cargos eclesiásticos chamou a atenção do pastor Silas Malafaia que resolveu gravar um vídeo comentando o assunto.

O presidente da igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo acredita que “há uma tentativa de ridicularizar o evangelho, desmerecendo as verdades do cristianismo” com assuntos como este.

Para o pastor, “nem Deus determina sobre as escolhas das vidas das pessoas”, portanto somos livres para fazermos o que quisermos. A ponderação do religioso, porém, é que iremos dar conta de nossas ações diante de Deus.

Malafaia critica o título de igreja evangélica adotado pelas igrejas inclusivas, explicando que uma igreja evangélica é assim determinada por seguir os princípios da Palavra, o que para ele essas igrejas não fazem.

“Eu estou vendo por aí uma tentativa de achincalhar o cristianismo e a igreja evangélica”. O pastor então cita Marcos 10:6-8. “O que está no velho testamento está no novo testamento. Deus não fez sociedade de bissexuais, andrógenos, nem de trans… se cada um quiser ser o que quiser, que seja, mas eu não sou obrigado a engolir”, completou.

VEJA TAMBÉM
Malafaia defende impeachment de Temer horas antes da reunião marcada com o presidente

Silas Malafaia critica as igrejas inclusivas por elas adaptarem o Evangelho para a prática homossexual. “Não é a Bíblia ou o Evangelho que deve se adaptar a você, são as pessoas que devem se adaptar ao Evangelho, porque o Evangelho é o poder de Deus para mudar qualquer pessoa”.

Ele foi ainda mais fundo na crítica: “Não é igreja inclusiva, é igreja leviana. Igreja permissiva com o pecado, porque a Palavra de Deus fala sobre o pecado e condenado o pecado”, completou.

Assista: