Da Redação JM Notícia

Endereçamento de Palmas passará por mudanças e gera polêmica

O procurador da República Álvaro Manzano usou seu Twitter para reclamar do novo endereçamento de Palmas, projeto de lei do Executivo que foi aprovado na Câmara nesta semana. 

Para ele, essa alteração é o pior legado deixado pelo prefeito na capital. “O pior legado da gestão @AmasthaRompre será essa mudança de endereço. Não sei como não pensam nos transtornos que milhares de cidadãos terão, apenas para privilegiar o cartório.” 

Ao apresentar o projeto de endereçamento de Palmas, a Prefeitura justificou que voltar o endereço antigo é mais barato que mudar todos os registros nos cartórios, mas Manzano descorda. “Argumentam que os gastos serão menores. Que gastos? Contabilizaram todas os materiais gráficos, placas de residências, alterações cadastrais, etc.” 

Pelo que foi aprovado na Câmara, os endereços de Palmas passam a ter quadras, alamedas, quadras internas e lotes. As quadras residenciais voltam a ser chamadas de ARNE, ARSE, ARNO e ARSO de acordo com a região da cidade onde estão localizadas (Norte, Sul, Leste e Oeste). 

O projeto também prevê a mudança na numeração das quadras que passam a ter apenas dois números, não mais três números como é hoje. Os CEPs das ruas também serão modificados. 

Diante dessas mudanças, o procurador destaca que causará vários transtornos adotar o novo endereço, como ter que alterar os dados em todos os lugares onde o palmense possui cadastro. 

  

Palmas tem dois endereços há 18 anos 

O maior problema do endereçamento é que os Cartórios de Registro de Imóveis ainda usam a configuração antiga, enquanto os Correios e a população adotaram a nova forma. Essa divergência se mantém por 18 anos. 

Com a aprovação do projeto, as mudanças das placas e nos Correios devem acontecer dentro de um prazo de um ano e meio.