Da Redação JM Notícia

O pastor norte-americano John Piper causou polêmica ao declarar que mulheres não devem ensinar em seminários teológicos. Ele respondia à pergunta de um aluno que deseja respostas tendo como base os versículos de I Timóteo 2:8-15 e I Coríntios 14:34.

A resposta, publicada em seu blog, tem repercutido em vários países, pois para Piper as mulheres podem estudar e se formar em seminários, mas não podem ensinar em cursos teológicos, pois para isso teriam que ser pastores.

Na visão do religioso, mulheres não podem ser pastoras. Enquanto muitas igrejas não seguem este ensinamento, Piper declara sempre que o ministério pastoral é uma função exclusiva dos homens.

“Se não é bíblico termos mulheres como pastoras, como pode ser bíblico vermos mulheres envolvidas no ensino formal e na orientação de pastores para uma vocação da qual elas estão excluídas?”, questiona.

O pastor deixa claro que “o problema não é a competência das mulheres como professoras, ou da inteligência, conhecimento ou habilidade pedagógica”, apenas que “no que diz respeito ao seminário, é em grande parte a natureza do ofício [pastoral] de ensino no seminário”.

VEJA TAMBÉM
John MacArthur diz que mulher não deve pregar na igreja

Professoras criticam posicionamento do pastor

A pastora e escritora Kaitlin Curtice criticou a declaração do pastor ao aluno e outras lideranças evangélicas também se manifestaram contra Piper, que é um dos pastores mais respeitados.

Curtice convidou os cristãos a desfazerem essa mentalidade de que a mulher não pode ensinar e disse ter sentido na pele esse preconceito travestido de ensinamento teológico.

“Esta entrevista me lembrou de um dos pastores da minha infância, um homem a quem amo muito, mas que nunca me valorizou como líder. Então, somos desafiados a não apenas tentar desfazer essa mentalidade, mas também tentar corrigir o risco dessas repercussões em nossa sociedade”, declarou.