Da Redação JM Notícia

A morte de macacos no Estado revelam a presença da doença, pois assim como os humanos, os animais são vítimas dos mosquitos causadores da febre amarela

A Secretaria de Estado da Saúde do Tocantins confirmou nesta terça-feira (30) que há três pessoas apresentando sintomas de febre amarela no estado, sendo elas nas cidades de Araguaína, Itacajá e Palmas. O estado de saúde dessas pessoas estão sendo investigados e ainda não há prazos para que seja confirmada ou descartada a infecção da doenças nessas pessoas.

Tocantins faz parte da área endêmica da febre amarela e nas últimas semanas tem aumentado o número de macacos mortes, servindo como sentinela sobre a presença da doença nas cidades. O caso mais recente de macacos mortos foram registrados na última segunda (29) em chácaras da região de Santa Fé do Tocantins. Outros dois animais morreram no Parque Cesamar, em Palmas.

Dos 128 casos de animais encontrados mortos de janeiro de 2017 a janeiro de 2018, apenas três casos foram confirmados como morte por febre amarela. Seis foram descartados,outros 17 estão em investigação e os demais são casos considerados indeterminados.

VEJA TAMBÉM
Justiça bloqueia bens de ex-prefeito de Ipueiras por desvios em construção de creche

Mais da maioria da população do Estado é vacinada (63%), o que evita situações de pânico. A doença é bem controlada pelas autoridades locais, tanto que em 2017 foi registrado a primeira morte por febre amarela após 17 anos sem nenhuma ocorrência. O caso foi registrado em Xambioá, mas ao que tudo indica, a vítima não contraiu a doença no estado.
“A recomendação é que a população mantenha-se tranquila em relação à febre amarela, pois em Palmas a vacinação é contínua e disponibilizada na rede municipal durante o ano inteiro”, informou a secretaria de saúde.

Quem já tomou a vacina não precisa tomar de novo. “As pessoas devem procurar cartões de vacina antigos e verificar a situação vacinal e se já houver registro da vacina, não há necessidade de revacinação”, diz a pasta.