Da Redação JM Notícia

Rodrigo Maia presidente da Câmara dos Deputados (Foto: André Dusek/Estadão …

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse nesta quarta-feira (7) que a data mais provável para a votação da reforma da Previdência em Plenário é 20 de fevereiro.

A declaração foi dada após uma reunião do político com representantes de cinco centrais sindicais, que reivindicam a retirada de pauta da matéria. Favorável à reforma, Maia reafirmou que a ideia é manter o calendário acordado com o líder do governo, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), e com o relator da matéria, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA).

“Eu acho bom manter a data do dia 20, para que os esforços que estão sendo construídos tenham sucesso. Toda vez que adia a data, em vez de estar gerando pressão para conquista de votos, atrasa a mobilização”, disse o presidente da Câmara. “Então vamos manter a data, para garantir a mobilização e encerrar esse assunto dia 20, dia 21,22 ou, no limite, dia 28”, completou.

O presidente da Câmara garantiu aos sindicalistas que só colocará o projeto em pauta se ele tiver certeza que o texto será aprovado pelos deputados. “Vamos trabalhar para ter voto, acho que o Brasil precisa da reforma da Previdência, o Brasil precisa que a gente tenha sistema previdenciário igual, do serviço público e do INSS [Instituto Nacional do Seguro Social]”, finalizou.

VEJA TAMBÉM
Líderes da base governista vão priorizar reforma da Previdência em 2018

Os líderes sindicais pedem para que a votação da reforma da Previdência seja adiada para 2019, declarando que o presidente Michel Termer não tem ligitimidade para aprovar uma medida tão importante para os trabalhadores, uma vez que, na visão dos representantes da CUT, da Força Sindical, da Nova Central, da CSB e da UGT, Temer não foi eleito.