Da Redação JM Notícia

Destroços de um F-16 de Israel abatido por forças iranianas (Foto: Jack Guez / AFP Photo)

O Irã enviou um drone espião à Israel que respondeu atacando alvos iranianos na Síria. Como contragolpe, o Irã derrobou um avião-caça israelense e a tensão entre os dois países alcançou níveis que há anos não eram registrados.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, declarou que seu país deu “duros golpes” ao bombardear alvos do Irã e da Síria e declarou que Israel se defenderá de todas as tentativas de agressão.

“Ontem demos duros golpes contra as forças do Irã e da Síria. Deixamos inequivocamente claro a todos que nosso modus operandi não mudou”, disse Netanyahu. “Vamos continuar atacando a cada tentativa de nos atacar. Essa tem sido a nossa política, e assim vai continuar sendo.”

Segundo informações do Observatório Sírio de Direitos Humanos, ao menos seis pessoas foram mortas nos bombardeios israelenses, incluindo soldados sírios e milicianos aliados. O piloto e o artilheiro do caça israelense conseguiram sobreviver ao se ejetarem, a aeronave caiu em território israelense.

A maior preocupação das autoridades israelenses é dos rumores de que o Irã e seus aliados xiitas estão se estabelecendo permanentemente na Síria, podendo se voltar contra Israel. A ligação do Hisbolá e Teerã é antiga, vários drones espiões já foram derrubados partindo da Síria, mas desde 2011não havia mais conflitos entre os vizinhos.