Da Redação JM Notícia

As Forças Armadas assumirão as atividades de segurança pública do Estado do Rio de Janeiro nos próximos dias e permanecerão por lá até o final do mês de dezembro. O objetivo é conter a onda de violência que tem afetado o Estado, sobretudo a capital.

O pedido de intervenção foi decretado pelo presidente Michel Temer nesta quinta-feira (15), após reunião com os ministros da Defesa, Raul Jungmann, do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, da Fazenda, Henrique Meirelles, do Planejamento, Dyogo Oliveira, e da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco.

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), também estiveram presentes. Após a assinatura do decreto por Temer, o Congresso Nacional tem dez dias para aprovar o decreto.

Essa será a primeira intervenção do tipo desde a aprovação da Constituição de 1988, segundo os presentes na reunião. É capaz ainda do presidente criar um Ministério da Segurança Pública, pasta que pode ser anunciada ainda nesta sexta-feira para buscar alternativas de conter as ondas de violência que se espalham por grandes capitais como Fortaleza.