Da Redação JM Notícia

Cinco mulheres morreram ao serem alvejadas pelos tiros de um soldado do EI

Neste domingo (18) um atentado terrorista em Daguestão, região semiautônoma no sul da Rússia, deixou cinco fiéis mortas após o fim da missa que era realizada em uma igreja ortodoxa.

A autoria do atentado foi reivindicada pelo Estado Islâmico, que tinha com alvo os cristãos que deixavam a missa de “Maslenitsa”, culto especial que marca o início da Quaresma, seguindo o calendário litúrgico ortodoxo.

Segundo padre da igreja ortodoxa de Kizliar, o atentado ocorreu assim que as pessoas deixaram a igreja. Armado com um rifle, o terrorista gritou “Allahu Akbar” depois de disparar contra todas as pessoas que pode alvejar.

“Logo após escutar os disparos, fomos a fechar as portas para que [o atirador] não pudesse entrar. Ele portava uma arma e uma faca. Era barbudo e gritou Allahu Akbar enquanto corria”, testemunhou o padre.

As forças de segurança conseguiram encontrar o homem que acabou sendo morto após uma troca de tiros. Ainda sem ter o nome revelado, o terrorista tinha 22 anos e estava acompanhado por uma mulher que conseguiu fugir do local.

VEJA TAMBÉM
"Tive filhos para servir a Deus como terroristas", diz ex-mulher de líder do Estado Islâmico

A agência Amaq, que apoia a comunicação do grupo terrorista, enviou um comunicado onde o Estado Islâmico assume a responsabilidade pela morte das cinco mulheres que foram alvo do soldado.