Da Redação JM Notícia

Na safra passada, 2015/2016, foram colhidas 56.850 toneladas do fruto; na safra 2016/2017, essa produção subiu para 64 mil toneladas (Foto: Juliano Ribeiro/Governo do Tocantins)

Produtores tocantinenses conseguiram uma safra recorde de abacaxi irrigado, terminarão o mês de fevereiro com a produção de 64 mil toneladas na safra 2016/2017, ssendo que em 2015/2016 foram 56.850 toneladas do fruto.
As principais regiões produtoras estão nos municípios de: Miranorte, Rio dos Bois, Miracema, Barrolândia, Pau D’Arco, Juarina, Bernardo Sayão, Porto Nacional (Projeto hidroagrícola São João), Aparecida do Rio Negro e Dianopólis (Projeto hidroagrícola Manuel Alves) que juntas representam uma área de 3.350 hectares de plantação.
O abacaxi tocantinense possui as suas peculiaridades no sabor (brix) teor adocicado, por apresentar condições climáticas e solo favoráveis. O engenheiro agrônomo da Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), Antônio Cassio Filho, ressalta que, para uma boa produção, os produtores utilizam de tecnologias nas boas práticas desde o plantio até a colheita. “Essas ferramentas são importantes para alcançar um fruto produtivo e de qualidade e, consequentemente conquista de novos mercados consumidores”, afirmou.
De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o fruto é exportado para 19 estados brasileiros, garantindo o mercado e movimentando a economia tocantinense.

Qualidade

Para alcançar maior produtividade, qualidade, menos custos e maior renda, os produtores investem em tecnologias mais avançadas. No projeto São João, município de Porto Nacional, por exemplo, o produtor Marcelo Galati utiliza das boas práticas desde o plantio até a colheita do fruto. Numa área cultivada de 300 hectares, a produção é escalonada e mecanizada, com uma produtividade de 22 mil frutos por hectare. A capacidade produtiva pode chegar a 6 milhões de frutos por ano. “Nesta safra, estamos colhendo 100 hectares, sendo que os trabalhos de colheita na lavoura tiveram início em dezembro e se estendem até o mês de junho”, explicou o produtor.

Marcelo Galati explica ainda que os frutos são selecionados na hora da colheita, por isso é necessário usar a boa técnica de acordo com o que pede o mercado consumidor. “O mercado enfrenta a super oferta, portanto temos que organizar esta cadeia produtiva para conseguir uma melhor renumeração pelo produto”, afirmou o produtor.

Tecnologia

O uso da tecnologia nas lavouras é também ferramenta fundamental para alcançar bons resultados na produção. O produtor Fabiano Lino, do município de Miracema do Tocantins, utiliza a mecanização principalmente para pulverização, adubação e indução dos frutos. “Isso proporciona um melhor controle da produção e a boa qualidade do abacaxi. Cerca de 70% dos frutos pesam mais de 1,6 kg, o que é considerado uma ótima produtividade”, explicou. Nesta safra, o produtor está colhendo fruto de uma área de 9 hectares, mas na próxima safra, pretende aumentar para 12 hectares de abacaxi.