Da Redação JM Notícia

Marcelo Miranda e Claudia Lelis deverão deixar o cargo novamente (Foto:Frederick Borges/Governo do Tocantins)

Na noite desta terça-feira (17) o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgou os embargos de declaração apresentados pela defesa do governador Marcelo Miranda (MDB) que foi cassado em 22 março por abuso de poder econômico, abuso de poder político, abuso de autoridade e de captação ou gasto ilícito de recursos financeiros de campanha eleitoral.

A defesa questionou alguns pontos da decisão, mas os 7 ministros foram unânimes pela rejeição dos embargos e mantiveram a decisão de que Miranda e sua vice, Cláudia Lelis (PV), devem deixar o cargo.

No governo por conta de uma liminar, assinada pelo ministro Gilmar Mendes sete dias após a cassação, Miranda e Lelis deverão deixar o cargo novamente e o Tocantins terá que passar por eleições diretas para a escolha de um novo governador.

Marcelo Miranda ainda pode recorrer ao Supremo Tribunal Federal, mas não poderá continuar no cargo. O deputado estadual Mauro Carlesse (PHS), presidente da Assembleia Legislativa, deve assumir o governo novamente.