Da Redação JM Notícia

Jogador australiano de rúgbi Israel Folau

Nos últimos dias o  jogador  australiano de rúgbi Israel Folau tem sofrido vários ataques por ter se posicionado em favor da familia tradicional e criticado a homossexualidade. Cristão, o atleta tem mantido sua fé diante da perseguição criada por sua declaração.

Tudo começou com uma postagem na rede social onde Folau defende a família como Deus criou. Um internauta, então, pergunta se os homossexuais irão para o inferno e o atleta responde que sim, “a menos que se arrependam de seus pecados e se voltem para Deus”, afirmou.

Além de ter sido criticado pelos seguidores, o jogador de rúgbi levou a  Qantas, principal patrocinadora do esporte na Austrália, a anunciar oficialmente seu desapontamento com ele, uma vez que a empresa apóia a união entre pessoas do mesmo sexo no país.

Folau  precisou se explicar  e negar ser homofóbico, mas deixou claro que não irá mudar suas convicções religiosas sobre este assunto. “As vidas das pessoas não são para eu julgar. Só Deus pode fazer isso”, escreveu ele.

VEJA TAMBÉM
Jovens da Hillsong de Sidney são atacados na saída do culto

Ele está ciente, porém, que seu posicionamento pode comprometer a relação do time com os patrocinadores e está disposto a sair do time para evitar que isso aconteça. “Isso não é sobre dinheiro, poder de barganha ou contratos. É sobre o que eu acredito e nunca irei comprometer, porque minha fé é muito mais importante para mim do que minha carreira e sempre será”, acrescentou.

Fé acima de tudo 

Criado na Igreja Mórmon, Folau acabou se distanciando da religião quando entrou para o rúgbi e passou a ter fama e dinheiro. Mas depois ele se reconciliou com a fé cristã e desde então não esconde o que acredita.

“Eu leio a Bíblia todos os dias. Isso me dá uma sensação de paz que não consegui encontrar em nenhuma outra área da minha vida. Isso me dá direção. Responde às minhas perguntas”, afirma o atleta.

Ele usa sua fama para compartilhar mensagens da Bíblia e diz que é um gesto de amor. “Acredito que é um gesto amoroso compartilhar passagens da Bíblia com outras pessoas. Eu faço isso o tempo todo quando as pessoas me fazem perguntas sobre minha fé ou coisas relacionadas às suas vidas, seja pessoalmente ou nas minhas contas nas redes sociais”.

VEJA TAMBÉM
Senado analisa criação do Estatuto da Diversidade Sexual com previsão de redesignação sexual