Da Redação JM Notícia

Bispo Guaracy Silveira e o pastor Paulo Martins Neto, em ascensão no Tocantins

Pelo menos dois lideres evangélicos estão em ascensão no Tocantins nos últimos meses e bastante “visados” pela classe política.

Trata-se do pastor Paulo Martins Neto, presidente da Convenção Ciadseta, entidade com mais de 50 mil evangélicos no Estado. Martins é engeheiro civil, membro da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), Bacharel em Direito, ex-vereador no Estado do Pará e em dezembro de 2017 conseguiu um feito extraordinário, foi reeleito presidente da Convenção Ciadseta com quase 80% dos votos sem praticamente fazer campanha à reeleição.

Com uma população estimada em mais de 350 mil evangélicos no Tocantins, o líder assembleiano tem sido sondado nos últimos meses para disputar uma vaga de vice-governador, senador ou até deputado estadual nas eleições de outubro.

Se de fato ocorrer, a Convenção Ciadseta ganhará mais força na sociedade civil organizada e pode ser tornar ainda mais poderosa nos próximos anos , tendo em vista que o seu líder estará à frente de questões importantes que norteiam o Estado.

VEJA TAMBÉM
Ciadseta publica Edital de Convocação de sua 72ª AGO

Outro líder evangélico que vem ganhando força é o Bispo Guaracy Silveira, suplente de senador da República e líder da Igreja do Evangelho Quadrangular no Estado. Neste sábado (21) ele foi alçado à presidência do PSDC no Tocantins, e deve caminhar com o pré-candidato Carlos Amastha ao Governo do Tocantins.

A sua denominação (Quadrangular) possui, segundo dados recentes, mais de 24 mil evangélicos no Estado. Um dos projetos recentes do Bispo na área política, é eleger um representante da Igreja no parlamento estadual, que nesse caso é o vereador de Araguaína, pastor Wagner Enoque (PSB).

EL PAÍS

Segundo o jornal EL País, representando quase 30% da população do país, os evangélicos serão procurados por candidatos dos mais diferentes partidos políticas que pleiteiam cargos no legislativo ou executivo nas eleições deste ano. De acordo com o Jornal, os votos dos evangélicos é capaz de definir qualquer eleição.

COMPARTILHAR