Por Francisco Vieira Vieirinha

O jeito de se fazer politica tem uma dinâmica no debate quando chegamos a pensar o que estamos fazendo com ficha limpa, na história o ser humano pode compreender melhor a sua liberdade olhando para o passado.

Há muitas perguntas para se responder até o dia da eleição suplementar. Quem dera a crise atual servisse para causar uma comoção e levar os eleitores a repensarem em suas escolhas na hora de votar.

Para esta eleição o cenário vem com boas novidades e uma delas aponta para excluir qualquer possibilidade de apoiar candidato que tenha questionamento jurídico.

Quem não é ficha limpa e ainda não foi condenado insiste em dizer que é inocente e que tudo isso não passa de perseguição.  Se a eleição de 03 de junho fosse hoje, quem seriam o candidato da preferência do eleito?

E tenho dito.

Francisco Vieira Vieirinha – Jornalista e Publicitário DRT – 0001018/TO

COMPARTILHAR