Da Redação JM Notícia

Palhaço com pênis gigante deixou até a secretária responsável pela escola surpresa (Foto: Metrópoles)

A apresentação de uma peça teatral em uma escola de ensino fundamental de Planaltina (DF) na última terça-feira (8) gerou grande polêmica por conta do conteúdo apresentado. Um palhaço estava vestido com um “pênis gigante” preso à cintura.

Cerca de 150 estudantes, entre 14 e 16 anos, do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 03 de Planaltina acompanhavam a apresentação com o título de “O Auto da Camisinha” que tinha como objetivo falar sobre prevenção de doenças sexualmente transmissíveis com os alunos.

Mas a forma como o assunto foi abordado desagradou os pais de alunos. Os vídeos começaram a circular nas redes sociais e algumas famílias se revoltaram por acharem que seus filhos não tinham idade suficiente para um espetáculo daqueles.

A própria escola informou ao site Metrópoles que se surpreendeu com o conteúdo da apresenta e que não tinha sido informada sobre a peça. A professora Adriana Reis, supervisora da escola, a ideia era promover, de forma lúdica, a discussão sobre problemas como doenças sexualmente transmissíveis e evitar a gestação durante a adolescência no âmbito da educação sexual.

VEJA TAMBÉM
Governo Temer tira "gênero" da base curricular e mistura tema com religião

“Recebemos a companhia de teatro, que tem parceria com as secretarias de Saúde e de Cultura, para a apresentação da peça. Nos foram mostrados material como folder ilustrativo, roteiro e temática, que faz parte do currículo oficial. Mas em nenhum momento nos disseram sobre a música nem sobre a genitália do figurino. Pedimos desculpas ao terrível constrangimento causado à comunidade”, disse Adriana Reis.

A música citada pela supervisora da escola dizia “pega, pega a minha rola”, frase que gerou ainda mais constrangimento entre os pais e em alguns dos alunos.

CPI da Pedofilia quer ouvir responsáveis pela peça

Os integrantes da Hierofante Companhia de Teatro, de Ceilândia (DF), responsáveis pela peça, serão chamados a depor na CPI da Pedofilia a pedido do deputado distrital Rodrigo Delmasso (PRB).

“Essa peça é indecente, imoral e não contribui em nada na formação dos alunos. Podemos abordar esse assunto de outra forma. A convocação é para explicar por que eles quiseram apresentar para adolescentes, mesmo havendo restrição pelo ECA. Todos os deputados já confirmaram presença e ficaram perplexos com essa apresentação”, afirmou Delmasso.

VEJA TAMBÉM
Vereadores de Palmas rebatem ataques de orientador educacional

A CPI é formada pelos deputados distritais Sandra Faraj (PR), Julio Cesar (PRB), Rafael Prudente (MDB) e Professor Israel Batista (PV), a maioria deles fazem  parte da bancada evangélica.

Em sua defesa, Anderson Floriano, produtor, diretor, gestor e ator da companhia teatral, declarou que não há nada pornográfico na peça “do pênis gigante”. “Toda vez que alguém critica a nossa peça perguntamos se a pessoa já assistiu antes e apresentaríamos para eles com toda certeza. Não utilizamos nada de vulgar ou pornográfico. Usamos o pênis gigante não para constranger os jovens, mas para causar risos. A internet que é para trazer informação acaba causando desinformação”, disse.