Da Redação JM Notícia

Pastor Wellington Júnior e o pastor Jonas Francisco, líder da COMADERJ – Foto: Tiago Bertulino

A  Convenção de Ministros das Assembleias de Deus do Estado do Rio de Janeiro (COMADERJ), presidida pelo Pastor Jonas Francisco de Paula, pediu, no dia 03 de fevereiro deste ano, a desfiliação dos quadros da CGADB e anunciou filiação à Convenção da Assembleia de Deus no Brasil (CADB), liderada pelo pastor Samuel Câmara.

No entanto, no último dia 06 de Junho, mediante ofício assinado pelo pastor Jonas Francisco, foi protocolado o pedido de revogação de sua saída dos quadros da CGADB.

Em reunião realizada nesta terça-feira (12), na sede administrativa da CGADB, acompanhado de membros da Diretoria, presidentes de Conselhos, Comissões e Pastores Presidentes de ministérios ligados à COMADERJ, após pedido de perdão e reconciliação por parte do pastor Jonas Francisco, ele pediu ao pastor José Wellington Júnior pessoalmente que fosse revogado o seu pedido de desligamento da CGADB.

COMADERJ deixa CADB, pede perdão e solicita retorno aos quadros da CGADB; pastor Wellington Júnior comenta

Segundo a assessoria da CGADB, o clima foi fraterno entre o pastor Wellington Júnior e o pastor Jonas Francisco, líder da COMADERJ. Segundo a CGADB, o pastor Wellington Júnior ouviu atentamente o pedido e recebeu toda documentação para que seja apreciada pela Mesa Diretora na próxima reunião. O encontro foi encerrado com um café da manhã organizado pela CGADB.

VEJA TAMBÉM
CGADB tem novo Secretário-Adjunto

Pastor Wellington Júnior comenta

Em entrevista ao JM Notícia, o pastor Wellington Júnior afirmou que ele e o pastor Jonas Francisco são amigos há longos anos, e ressaltou a sua liderança.

Decisão nobre

Pastor Wellington Júnior comenta

“Ele foi corajoso para tomar a decisão de sair e foi corajoso para tomar a decisão de voltar. Então, ele demonstrou uma nobreza, uma preocupação, não com ele pessoalmente, mas com a entidade que ele comanda, e essa decisão deve refletir em todo o Brasil. [..] Estamos bem, nunca tivemos um arranhão e agora é hora de continuar aquilo que Deus quer que façamos”, disse pastor Wellington Júnior.

Pastor  Wellington Júnior disse ainda ao JM Notícia que está trabalhando para que a CGADB esteja mais próxima dos convencionais:  “Estamos com alguns projetos para trazer modernização  à administração, à sua postura em relação ao Brasil […] fazer com que todos os obreiros de todo o Brasil se sintam da CGADB e considerados e respeitados pela CGADB, esse é o nosso lema”.

Retorno de novas Convenções

Questionado pelo JM Notícia se será possível receber novas convenções que deixaram os  quadros da CGADB, pastor Wellington Júnior disse que será analisado caso a caso perante a Mesa Diretora da CGADB.