Da Redação JM Notícia

A campanha eleitoral no México tem gerado muitos crimes, atentados que já deixaram mais de 113 políticos mortos, tornando esta a campanha mais sangrenta da história daquele país.

Entre os mortos está o prefeito Alejandro Chavez Zavala que tentava a reeleição mas foi alvo de atiradores. Membro da coalizão de direita-esquerda liderada pelo Partido de Ação Nacional (PAN), Alejandro não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital na última quinta-feira (14).

Assassinatos políticos abalam a atual campanha eleitoral, na qual eleitores decidirão sobre 3.000 cargos eletivos, incluindo a Presidência.

As eleições acontecem no dia 1º de julho e para o cargo de presidente, a disputa está entre o governista Partido Revolucionário Institucional que tem sido responsabilizado pelo lento crescimento econômico do México e pelo aumento da violência, e o candidato de esquerda Andrés Manuel Lopez Obrador, que lidera as pesquisas.