Da Redação JM Notícia

Deputado Eli Borges (SD)

Durante a sessão ordinária desta quarta-feira (20), os deputados estaduais do Tocantins comentaram a interdição do Hospital Municipal Hermínio Azevedo Soares, em Formoso do Araguaia, fazendo duras críticas à gestão atual do Estado.

A Vigilância Sanitária interditou áreas hospital após verificação de infrações sanitárias em espaços como o laboratório de análises clínica, o pronto socorro, a farmácia e a cozinha . Segundo o órgão, as irregularidades são apontadas desde 2016 e  até o momento os problemas não foram ajustados. Com a interdição, o hospital terá 45 dias para resolver os problemas.

O prefeito de Formoso, Wagner Coelho de Oliveira, gravou um vídeo denunciando a interdição e dizendo que o Governo do Estado resolveu fechar o hospital por perseguição política, pois ele está apoiando a candidatura de Vicentinho Alves ao governo.

Ao se posicionar a favor da população que depende dos hospitais públicos, o deputado Eli Borges (SD) declarou seu apoio à administração do governador interino Mauro Carlesse, por entender que em pouco mais de 30 dias ele não conseguiria mudar todos os problemas da Saúde.

VEJA TAMBÉM
Milton Neris lamenta aprovação de emenda à LDO pelo Executivo

Eli Borges não acredita que o fechamento do hospital tenha relações políticas, por conhecer e a rotina administrativa do secretário Renato Jaime e o coração de Carlesse. Ele ainda destacou os avanços da Saúde onde, em cerca de um mês, mais de 2.000 cirurgias foram realizadas.

“Aconteceu um avanço e trouxe um alento a milhares de tocantinenses e a rotina do hospital continua, sem magia e sem dinheiro novo”, declarou o parlamentar que também citou a estadualização dos hospitais de Tocantinópolis e Colinas.

Eli Borges sugeriu a criação de um requerimento para a reabertura do hospital, ainda que seja necessário sugerir um convênio entre o Estado e o Município.

 

Leia a nota da Secretaria de Saúde:

A Secretaria de Estado da Saúde esclarece que não houve interdição do Hospital Municipal de Formoso do Araguaia. A ação realizada ontem, 19, na unidade hospitalar do município foi uma fiscalização de rotina onde se constatou infrações sanitárias em alguns setores do hospital, como lavanderia, cozinha, laboratório de analises clínicas e o pronto socorro.

As inconformidades nessas áreas vêm sendo notificadas desde 2016, e até o presente momento o município não atendeu às exigências da Vigilância Sanitária.  

Como órgão responsável pela fiscalização de serviços e produtos para consumo da população, a Vigilância Sanitária, em cumprimento à legislação vigente, e em conformidade com o auto de infração n. 031/2018, configurando risco sanitário iminente à saúde dos usuários, procedeu com a interdição PARCIAL nos setores críticos do hospital municipal Hermínio Azevedo Soares.

A SES informa ainda que, no final da tarde de ontem, a secretaria municipal de saúde de Formoso do Araguaia protocolou na VISA estadual Oficio solicitando prazo de 45 dias para cumprimento das exigências apontadas no auto de infração n. 031/2018.

Em atendimento a solicitação, e considerando que parte das providencias para o cumprimento das determinações já tiveram inicio ainda na tarde de ontem, a Vigilância Sanitária do Estado deferiu o pedido de solicitação do município para o Termo de Ajuste e Conduta (TAC) e já autorizou a desinterdição dos setores citados.