Da Redação JM Notícia

O empresário Jack Phillips teve sua liberdade religiosa e de expressão garantida pela Suprema Corte dos EUA

No começo de junho a Suprema Corte dos Estados Unidos proferiu uma decisão favorável a um confeiteiro cristão que em 2012 se recusou a fazer um bolo para um casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Desde então, o empresário Jack Phillips viu suas vendas triplicaram. Segundo o confeiteiro, os resultados são positivos diante dos prejuízos que ele teve durante o processo.
“A decisão do estado sobre as minhas crenças me custou 40% do meu negócio e me forçou a reduzir o quadro de funcionários de dez para quatro”, disse Phillips ao Christian Post, se referindo a primeira decisão que foi à favor do casal gay.

Mas com o último recurso, ficou garantido a sua liberdade religiosa e de consciência e a Comissão de Direitos Civis do estado ainda foi criticada por expressar um viés antirreligioso na decisão contra o confeiteiro.

No dia da decisão, cerca de 400 apoiadores ficaram na frente da Masterpiece Cakeshop para comemorar. Ao mesmo tempo, alguns militantes da causa LGBT foram até o local protestar contra Phillips e seu posicionamento. A confeiteria serviu biscoitos aos manifestantes.

VEJA TAMBÉM
“Os EUA abandonaram Israel”, diz rabino sobre decisão da ONU

“Desde que nós ganhamos, nós vimos muito mais apoio do que negatividade. Mesmo as pessoas que não acreditam na mesma coisa que eu quando se trata de casamento, incluindo muitos que se identificam como LGBT, têm sido muito encorajadoras. Tolerância é uma via de mão dupla. Se nós queremos liberdade para nós mesmos, temos que estendê-la a quem discorda da gente. A maioria das pessoas entende isso”, declarou o confeiteiro.

Phillips explicou ainda que sempre atendeu homossexuais e que eles fazem parte de sua clientela, mas que ele não criar mensagens que venham a apoiar a união entre pessoas do mesmo sexo, pois isso vai contra suas crenças de que o casamento é apenas a união entre um homem e uma mulher.