Da Redação JM Notícia

Bill Whatcott foi preso e pode ser condenado a dois anos de prisão

Em 2016 um cristão canadense foi até a Parada Gay que acontecia em Toronto com cartazes que condenavam a prática homossexual e distribuiu folhetos evangelísticos. Os organizadores do evento o processaram e agora ele corre o risco de ser preso pelo “crime de ódio”, podendo ser condenado a dois anos de prisão.

Bill Whatcott, que trabalha como motorista de ônibus, está sendo enquadrado em uma lei de 2013 que foi declarada com o propósito de reprimir violações contra os “direitos humanos”.

Os autores da ação declaram que os folhetos entregues continham mensagens que promoviam a homofobia e a Justiça do Canadá tem aceitado a denúncia, dando prosseguimento ao caso.

Segundo informações, os folhetos distribuídos por Bill falavam sobre as doenças sexualmente transmissíveis pelo sexo anal e traziam fotos e ilustrações para alertar dos perigos da prática, convidando os participantes do evento a se arrependerem.

Mas o texto usava palavras como “imundícia” e “sodomia” para descrever a relação sexual homoafetiva, levando os organizadores a denunciá-lo por discriminação.

VEJA TAMBÉM
Dias antes de cantar em boate gay, Perlla pede perdão à comunidade LGBT

A polícia foi chamada durante o evento e, segundo o relatório policial, os participantes declararam que “William Whatcott distribuiu material que promove o ódio contra a comunidade gay”. Também diz que o homem fazia “promoção do ódio” contra um grupo específico.

Na semana passada Whatcott foi preso após um juiz da corte superior emitir um mandato de prisão, agora ele aguardará o julgamento onde além de ser condenado a dois anos de cadeia, também poderá ser condenado a pagar US$ 7.500 de indenização.