Da Redação JM Notícia

Filha de pastores evangélicos, a cantora americana Katy Perry iniciou a carreira na música gospel, mas logo resolveu migrar para o mercado pop onde tem feito muito sucesso.

Distante da fé, a cantora viu sua carreira deslanchar ao gravar a canção “I Kissed a Girl”, conquistando o apoio da comunidade LGBT, ao mesmo tempo que trouxe grande dor à sua mãe que sempre permaneceu em oração por ela.

Em entrevista à revista Vogue da Austrália (edição de agosto/2018), Katy falou sobre sua fé e sinalizou uma possível reconciliação com a fé cristã.

“Minha mãe orou por mim toda a minha vida, esperando que eu voltasse para Deus. Eu nunca o deixei, eu era apenas um pouco secular, eu era mais materialista e mais voltada para a carreira. Mas agora que estou na faixa dos 30 anos, estou mais focada na espiritualidade e na plenitude de coração”, disse ela.

A cantora tatuou a palavra “Jesus” em seu pulso e compartilho nas redes sociais há alguns meses. O que já indicava que ela estava em busca de reencontrar sua história com Deus e com a religião.

VEJA TAMBÉM
Katsbarnea lança single com mensagem para gays: “Jesus Cristo te ama do jeito que você é"

Na entrevista da Vogue, Katy ainda elogia o Papa Francisco, de quem se revela fã por sua humildade e compaixão. “Sou uma grande fã do papa Francisco. É uma combinação de compaixão, humildade, severidade e recusa. Ele é rebelde, mas um rebelde para Jesus. Ele está trazendo a Igreja de volta à humildade e se conectando com as pessoas. Ele é muito humilde e não é frívolo”.