O ex-participante do BBB, Laércio, participou do Mais Você, programa matinal da rede Globo e deu declarações chocantes.

Durante o Big Brother ele foi acusado de pedofilia pela participante Ana Paula. O assunto foi amplamente comentado nas redes sociais. Logo se tornou um dos assuntos mais comentados nesta quarta (3).

A imensa maioria das postagens condenava a posição da Globo, que parecia apoiar o ex-BBB e, indiretamente, tentar mostrar a pedofilia como um comportamento aceitável.

bbb1

 

Conversando com Cissa Guimarães e André Marques, no Mais Você, Laércio, 53 anos, admitiu ter se relacionado com duas meninas ao mesmo tempo: uma de 19 e outra menor de idade, de 17. Nesse “triângulo amoroso” uma delas seria bissexual e a outra, lésbica.

Estava presente na atração a advogada Silvana Góes, que afirmou claramente: “pedofilia em si não é crime”. Segundo ela, trata-se da “condição de uma pessoa que se sente atraída sexualmente por crianças e adolescentes”. Logo, para o direito “só é crime quando essa pessoa pratica atos sexuais com crianças menores de 14 anos. Não é crime ter relacionamento sexual com pessoas de mais de 14 anos desde que esse relacionamento seja da vontade de ambos”, disse.

VEJA TAMBÉM
Ex-BBB testemunha conversão durante culto no ES

As declarações de Laércio e, também dos apresentadores, que pareciam tentar defender o ex-BBB das acusações, tiveram repercussão negativa imediata nas redes sociais. Cissa ainda deixou no ar que “tem muitos amigos de 17 anos”.

Em entrevista à revista VEJA, o professor de direito na FGV do Rio de Janeiro Gustavo Kloh explicou que, segundo o Código Penal, o ato sexual com pessoa de até 14 anos é considerado ‘estupro de vulnerável’. Mas fez a ressalva que para pessoas na faixa etária de 15 a 18, o assunto é motivo de controvérsia no meio.

“Não existe um crime de pedofilia, existe outro crime grave chamado estupro. E sexo com menor é estupro”, assevera. Kloh ressaltou ainda que os defensores do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) lutam pela proteção ao adolescente de até 18 anos.

“O problema é que vivemos no Brasil. A sensualização precoce faz parte da cultura das ‘novinhas’. Você liga a TV e vê nas novelas que o adolescente não é respeitado”, sentenciou.

VEJA TAMBÉM
Para Santander, críticos da mostra são "intolerantes e deturpadores da informação"

Ainda segundo o professor Kloh, Laércio poderia ser denunciado por apologia ao ato criminoso, ou seja, incentivar de forma indireta a pratica de um crime, no caso, o relacionamento com menores. Se condenado, a pena varia entre 3 e 6 meses de detenção. Com informações Gospel Prime