Brasília- DF- Brasil- 12/03/2015- Reunião de instalação da Comissão do Estatuto da Família. Na foto, presidente eleito para a comissão, dep. Sóstenes Cavalcante (PSD-RJ). Foto: Zeca Ribeiro/ Câmara dos Deputados
Sóstenes Cavalcante

O deputado federal Sóstenes Cavalcante (PSD-RJ), afirmou nesta quinta-feira (18), que a ideologia de Gênero, “nada mais é que, a destruição da família, célula mater e base da sociedade”. O pronunciamento foi feito durante a votação do destaque que retira do texto-base da Medida Provisória 696/15 a expressão “da incorporação da perspectiva de gênero”.

O texto-base havia sido aprovado na noite de quarta-feira (17), mas faltavam ser analisadas propostas de alteração no texto. Durante toda a votação houve divergência entre os parlamentares. O texto original previa que fosse considerado a perspectiva de gênero.

“É impressionante os argumentos que eles usam para defender a desconstrução da família brasileira… Essa ideologia é defendida a nível mundial, infiltrada até na ONU…Portanto, vamos votar não a ideologia de gênero”, disse Sóstenes.

Após muito debate, a retirada do trecho foi aprovada por 188 votos a favor e 166 contra, e foi comemorada no plenário. Com a aprovação, o texto segue para análise do Senado.

“Estou muito feliz por mais está vitória. Os defensores da ideologia de gênero tentam de toda forma forçar a implementação desse conceito nas escolas e agora quer também introduzir nos ministérios. Não podemos permitir este absurdo”, comemorou.

VEJA TAMBÉM
Bancada evangélica confronta MEC por “diversidade de gênero” nos livros escolares

Lei que veta material sobre Diversidade Sexual

O deputado Sóstenes comemorou também a publicação da Lei que veta material sobre ‘diversidade sexual’ em escolas de Nova Iguaçu, RJ, pelo prefeito Nelson Bornier. O texto proíbe o uso de materiais didáticos com a temática “diversidade sexual”. A restrição vai de cartazes, livros a filmes.

“Quero parabenizar a o nobre prefeito Nelson Bornier pela publicação desta importante lei. Creio que cabe aos pais, decidirem como e quanto seus filhos serão orientados sobre sexualidade. Cada família tem sua cultura e seus princípios, é preciso que haja uma discussão mais ampla para buscar as melhores abordagens sobre este tema”, finalizou.

Confira o pronunciamento de Sóstenes:

Com informações Ascom Sóstenes Cavalcante