unnamed (2)
(Ascom) Peixes são fiscalizados para venda na Semana Santa, em Araguaína.

Esta semana, a Vigilância Sanitária de Araguaína intensificou a fiscalização na comercialização de peixes na cidade. Todo esse cuidado faz parte de uma prevenção devido ao aumento do consumo de pescado no feriado da Semana Santa. A fiscalização está sendo realizada no Mercado Municipal, feiras, supermercados e açougues.

“A população vem mais à feira nesta época do ano, por causa do feriado da Semana Santa, geralmente as pessoas respeitam bem a tradição de comer mais peixe esses dias”, disse o comerciante de peixes, localizado no Mercado Municipal, Fábio Souza Silva.

O objetivo da ação é incentivar a venda e o consumo conscientes tanto da comunidade quando dos comerciantes. “A gente orienta sobre as condições que o peixe chega. O armazenamento dele e como ele está aparentemente”, contou Mario Augusto Vitória, um dos fiscais da vigilância.

Bom peixe
O fiscal explica que a análise do peixe em bom estado começa pela cor dos olhos. “Transparente e brilhoso, viu aqui?”, demonstrou. Com bastante gelo cobrindo o corpo do peixe, as guelras devem estar avermelhada e o corpo limpo e consistente. “Quando eu aperto o corpo do peixe, ele se mantem consistente, veja só”, demonstrou o fiscal.

VEJA TAMBÉM
Evangelismo online leva mais de 100 mil a Cristo na Semana Santa

Exemplo
A feirante Augusta Mesquita é uma das mais elogiadas pelos fiscais. Eles contam que Augusta está sempre com a barraca limpa e os peixes em bom estado e de acordo com os padrões de qualidade. A caranha e o surumbi é uma das espécies de peixes que a Dona Augusta Mesquita está vendendo neste feriado. Com caixas de isopor cheias de gelo e os peixes frescos, no preço de dez reais o quilo, Augusta conta que há 10 anos, ela e sua família trabalham na venda de pescado no mercado.

“Tem 10 anos que a gente trabalha com a venda desses peixes. Esses vêm do Município de Almas e o meu esposo é pescador também, hoje mesmo ele está no Araguaia trazendo mais. Acho muito importante a vigilância, alguns podem achar ruim, mas quem quer vender com qualidade e consumir também sabe que o certo é ter esses cuidados, além de só vender”, disse a feirante.

O comerciante Junior Alves conta que também é preocupação no local orientar a equipe da Litucera a limpar o chão. Ele citou ainda que o clima de Araguaína é um fator de risco para os peixes frescos. “A fiscalização também é para limpar o chão, não juntar moscas e cheiro ruim, faz parte também. Além do gelo. Existem os riscos de contaminação, jorramos água no chão, também pra não juntar sujeira”, finalizou.

VEJA TAMBÉM
Empresas localizadas na orla da capital são autuadas por irregularidades no armazenamento e revenda de combustível
unnamed (1)
(Ascom) Peixes são fiscalizados para venda na Semana Santa, em Araguaína.

Ascom