Associação notifica Sefaz sobre repasses do Plano Saúde

A Associação dos Servidores da Secretaria da Administração (Assecad), notificou extrajudicialmente na última sexta-feira, 6, o secretário da Fazenda, Paulo Antenor de Oliveira, estabelecendo prazo de 72 horas para que a Sefaz efetue os repasses dos recursos referentes aos planos de saúde Assecad/Unimed Palmas; Plano Odontológico e mensalidades dos associados filiados à Associação.

De acordo com notificação assinada pelo presidente da Assecad, Cleiton Pinheiro, faz dois meses que a Sefaz não repassa integralmente os valores descontados em folha de pagamento dos servidores e isto coloca em risco o atendimento dos usuários do plano de saúde do convênio Assecad/Unimed Palmas e Odontogroup.

Ainda de acordo com a Assecad, Secretaria da Fazenda está inadimplente com o repasse das mensalidades dos seus filiados desde o mês de setembro de 2016. Pelos cálculos da Assecad, a Sefaz está em débito de R$ 1.339.116,14, referente ao Plano de Saúde Assecad/Unimed Palmas; R$ 181.056,15 – referente à mensalidades dos filiados e R$ 540,00, referente ao Plano odontológico.

Na notificação extrajudicial, o presidente da Assecad informa que as prestadoras de serviços já notificaram a entidade para que seja feita a regularização dos repasses sob pena de suspensão dos atendimentos do Plano de Saúde Unimed/Assecad e do Plano Odontológico Odontogroup e até mesmo o cancelamento do contrato caso os débitos não sejam sanados.

VEJA TAMBÉM
Barbiero quer que Estado suste medida da Sefaz que pode fechar empresas e fala em coação

Ainda na notificação a Assecad alerta que, “a retenção dos valores descontados na folha de pagamento dos servidores usuários do plano de saúde e do plano odontológico, bem como das mensalidades, constitui crime de responsabilidade, podendo o agente público sofrer as sansões de perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, pagamento de multa e proibição de contratar com o poder público”, confirme  prevê os artigos 9º, 10º e 11º da Lei número 8.492/92; além de crime de apropriação indébita conforme o artigo 168 do Código penal, com pena de reclusão de um a quatro anos, além de multa.

Após o prazo de 72 horas, caso os repasses não sejam feitos, a Assecad encaminhará cópia da notificação ao Ministério Público Estadual para que sejam tomadas as medidas cabíveis nos âmbitos civil e penal. (Com informações da Assessoria de Comunicação – assecad).

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.