Da Redação JM Notícia

Deputado federal Carlos Henrique Gaguim

Comprometido em defender a preservação do meio ambiente e buscando o desenvolvimento sustentável do país, o deputado estadual Carlos Henrique Gaguim (Podemos-TO) tem apresentado projetos de leis que buscam acelerar o processo de uso dessa energia renovável no país.

“O Brasil tem que apostar nas fontes de energias renováveis, pois são as fontes do futuro”, declarou o parlamentar que já apresentou alguns projetos de lei sobre este assunto.

Um dos projetos, de número 2456/15, visa criar o programa de incentivo à geração de energia elétrica a partir de Fonte Solar – PIES, possibilitando o financiamento para compra dos painéis solares junto às distribuidoras de energia, em processo simplificado e com pagamento nas próprias contas de luz.

No projeto de número 3412/15, Gaguim pede a criação de incentivos fiscais para produção de veículos elétricos ou híbridos e para instalação de pontos de abastecimento de energia promovendo a produção de energia limpa.

Já no PL nº 6883/17, Gaguim incentiva a aquisição de “árvores eólicas” por pessoas físicas, como uma alternativa para geração de energia elétrica renovável, em suas próprias casas, possibilitando que as despesas referentes à aquisição e instalação dessas árvores possam ser parcialmente deduzidas da base de cálculo do imposto de renda das pessoas físicas.

VEJA TAMBÉM
Rodrigo Maia descarta aumento de impostos para compensar acordo com caminhoneiros

O quarto projeto, de nº 7991/17,  visa priorizar a aplicação de recursos de pesquisa e desenvolvimento em projetos de geração de energia elétrica através da instalação de painéis solares no mar e em reservatórios de usinas hidrelétricas no Brasil.

Ao comentar sobre o tema, o parlamentar diz: “O Brasil é o país com maior potencial de fonte renovável de energia do mundo e diante dessa quantidade imensa de recursos disponíveis, como administraremos toda essa riqueza? Precisamos começar logo, entendendo melhor a natureza técnica e econômica de cada recurso renovável para poder empregá-lo com eficiência”.