Da Redação JM Notícia

Secretária Meire Carreira durante abertura do Seminário, em Brasília. / Ascom/Governo do Tocantins

Técnicos ambientais do Governo do Tocantins participam, em Brasília (DF), do Seminário Internacional sobre Manejo Integrado de Fogo (MIF): Resultados do Projeto Cerrado-Jalapão, promovido pela Agência de Cooperação Alemã Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ). O evento iniciou nesta terça-feira, 21, segue até quinta-feira, 23, e conta com a participação da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) e Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins). 

O Seminário conta ainda com o apoio do Ministério do Meio Ambiente, Caixa Econômica Federal, Banco de Desenvolvimento Alemão KFW, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Inpe e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). 

 O Manejo Integrado do Fogo, de acordo com a secretária Meire Carreira, foi desenvolvido com o objetivo de aprimorar as ações de controle, pesquisa e monitoramento, atividades de manutenção de infraestrutura, atividades de relacionamento público, ações de conscientização comunitária sobre a problemática do fogo e seus cuidados, entre outros.  

“A implementação do MIF representa um enorme avanço para o manejo de unidades de conservação e a conservação de áreas de vegetação nativa de Cerrado”, ressaltou. Outro ponto positivo, segundo a gestora, foi a capacidade de resposta das UC’s e Instituições Estaduais para responder às contingências/emergências relacionadas à prevenção e ao combate dos incêndios florestais. 

 Durante o Seminário, Meire Carreira abordou para o público os avanços nas pesquisas de campo, mapeamento de carga combustível, monitoramento do fogo e modelagem de emissões de gases de efeito estufa (GEE). Com o monitoramento dos incêndios, foi possível, conforme a gestora ambiental, identificar as áreas com queimadas históricas e verificar os incêndios ativos.  

“Sabemos que o conhecimento é fundamental para podermos realizar uma gestão eficiente. Por isso implantamos, em parceria com a Universidade Federal do Tocantins, o Centro de Monitoramento Ambiental e Manejo do Fogo, CEMAF”, destacou. 

No encontro o público participará também de painéis com os temas Transversalidade no Manejo Integrado do Fogo: convergências e lições identificadas na interface entre ciência e política na América do Sul, no Sudeste Asiático e na Europa; Aumento do risco de incêndios e evolução das políticas públicas nos EUA: gestão de riscos, incêndios, estratégia de coesão e restauração de paisagens; Manejo Integrado do Fogo em unidades de conservação federais; Manejo Integrado do Fogo em terras indígenas; Manejo Integrado do Fogo e gestão de parques: o caso do Parque Nacional; e Estimativa de emissões por fogo a partir da queima de biomassa em áreas selecionadas do Projeto Cerrado-Jalapão. 

  

CEMAF 

VEJA TAMBÉM
Palmas sediará a Copa Triathlon Brasil e Campeonato Brasileiro Infantil de Triathlon

O investimento do Governo do Tocantins para a implantação do Cemaf visa o aprimoramento do sistema de monitoramento, fiscalização e pesquisa sobre as queimadas. Com isso o Centro tem objetivo de fomentar a pesquisa e investir em tecnologias de prevenção e combate, além de estudar o comportamento do fogo e suas consequências sobre o meio ambiente e as mudanças climáticas. 

A atuação do CEMAF compreende três áreas: Desenvolvimento (com laboratório experimental de análises químicas), Tecnologia (laboratório de análise de dados e imagens de satélite) e Capacitação (com sala disponível para reuniões, cursos e treinamentos). Outra atividade do Centro será acompanhar as ações do MIF, gerando dados para subsidiar as ações do projeto, direcionar políticas públicas e a gestão ambiental da Semarh.