OAB-TO poderá impedir advogados inadimplentes de exercer a advocacia

O TED (Tribunal de Ética e Disciplina) da OAB-TO (Ordem dos Advogados do Brasil no Tocantins) julga, no próximo dia 8 de dezembro, cerca de 100 processos de advogados inadimplentes que estão sujeitos a ter sua inscrição suspensa e, assim, ficarem impedidos de exercer a advocacia. As dívidas dessas pessoas somam R$ 585 mil.

Todos esses advogados já foram notificados. Além disso, a OAB-TO contatou os profissionais para que eles pudessem tomar providências e evitar a suspensão de inscrição. “Estamos fazendo uma gestão com várias melhorias para a advocacia. A OAB está equipando as subseções, realizando reformas, iniciando a construção de sedes, já profissionalizou a Procuradoria de Prerrogativas para defender os advogados e advogadas, equipou as salas da advocacia entre tantas outras coisas. Tudo isso tem custo e o sistema só funciona se todos pagarem em dia”, explicou o diretor-tesoureiro da OAB-TO, Luiz Renato Provenzano.

Já o presidente do TED, Fábio Wazilewski, salientou que é uma obrigação da Ordem cobrar  tomar as medidas disciplinares de quem falta com as suas obrigações. “Deixar de pagar anuidade constitui infração ética, estabelecida pelo Estatuto da Advocacia e da OAB, punível com a pena de suspensão do exercício profissional, após a observância de todas as garantias do contraditório e da ampla defesa ao advogado. Além do mais, não é justo que colegas que não cumprem suas obrigações financeiras com a OAB usufruam dos mesmos benefícios que aqueles advogados regularmente adimplentes. A nossa gestão da OAB vem trabalhando para melhorar a gama de serviços e a rede de garantias de atuação profissional, mas precisamos que todos façam a sua parte”, salientou Wazilewski.

VEJA TAMBÉM
PF Deflagra operação no TO, GO, DF e mais três estados contra fraudes bancárias na web

Os advogados inadimplentes tendem a ser condenados a pena de suspensão, nos termos do artigo 37, 1º e 2º do Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil. Além destes 100 processos do dia 8, outros 500 estão na fila para serem julgados.

Conforme a advogada colaboradora do TED, Sandra Florisa, o andamento dos processos respeita todos os tramites legais, mas é feito com muita agilidade, pois os autos se repetem e os casos são praticamente iguais. “Embora o julgamento já esteja marcado, o advogado que procurar o TED antes do dia 8 dezembro e fechar o acordo de negociação, evita que o processo seja julgado e que a pena seja aplicada”, salientou Sandra Florisa.

Oportunidade
Por outro lado, quem quiser evitar a suspensão ainda pode aderir à Campanha de Regularização Financeira. A campanha se encerra dia 29 de dezembro e oferece descontos em juros e multas que variam de 30% a 100%. Também há possibilidade de parcelamento da dívida em até 36 vezes.

“A suspensão da inscrição é a nossa última medida. A OAB vem dando todas as oportunidades para quem quiser se regularizar. O nosso Programa de Regularização Financeira já está no segundo ano consecutivo”, destacou Provenzano.

VEJA TAMBÉM
Justiça suspende concurso público da Polícia Militar no Tocantins

Confira, abaixo, como são as opções de parcelamento e descontos:

Pagamento à vista – 100% de desconto nos juros e multa

Parcelamento até 6 vezes – 80% de descontos nos juros e multa

Parcelamento até 12 vezes – 70% de descontos nos juros e multa

Parcelamento em até 18 vezes – 60% de desconto nos juros e multa

Parcelamento em 24 vezes – 50% de descontos nos juros e multa

Parcelamento em até 30 vezes – 40% de descontos nos juros e multa

Parcelamento em até 36 vezes – 30% de descontos nos juros

Clique aqui e leia a resolução que permite o parcelamento.