Da Redação JM Notícia

Sudão é um país africano que persegue não-muçulmanos

Recentemente o vice-secretário de Estado norte-americano, John J. Sullivan, esteve no Sudão para retirar sanções aplicadas ao país, mas deixou claro a necessidade das autoridades respeitarem os direitos humanos, inclusive a liberdade religiosa.

Sullivan declarou que a questão de liberdade de religião é preocupante no país, citando o relatório anual do Departamento de Estado sobre Liberdade de Religião Internacional, que constatou que o Sudão persegue e pune os cidadãos não-muçulmanos.

Segundo o relatório, há uma série de punições no país africano como: prisões, detenções, intimidação de líderes religiosos, recusa de permissão para construção de novas igrejas, restrição da entrada de não-muçulmanos no país e a censura de material religioso.

“Nós insistimos que o governo do Sudão proteja as liberdades básicas de expressão, reunião pacífica, associação, religião e movimento”, declarou o vice-secretário durante seu discurso na mesquita Al Neelain em Cartum.

Respeitar os direitos humanos é uma das condições para que o Sudão se torne um parceiro integral dos Estados Unidos. Foi em outubro que o governo norte-americano revogou algumas sanções contra o Sudão, se esses ataques aos direitos humanos voltarem a ser registrados, as sanções poderão ser aplicadas novamente.  Com informações Portas Abertas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here