Da Redação JM Notícia

Para impedir que Jerusalém seja reconhecida como capital de Israel, a Organização das Nações Unidas (ONU) prepara uma manobra diplomática através de uma resolução que impedirá novos países de seguir o exemplo dado pelo governo dos Estados Unidos.

A decisão de Donald Trump não foi bem recebida pela ONU que há anos busca encontrar uma forma de criar o Estado da Palestina e concluir a divisão de Jerusalém, entregando parte da cidade para os palestinos.

A nova resolução tentará pressionar o governo americano a cancelar sua decisão, exigindo que Trump apresentasse um projeto de paz como prometeram, levando em consideração o interesse dos palestinos de ficar com a área oriental da cidade, onde estão os principais pontos da fé judaica, cristã e muçulmana.

Um alto diplomata palestino declarou, segundo a agência AFP, que eles contam com o apoio de 14, dos 15 membros do Conselho de Segurança, ou seja, apenas o governo norte-americano não irá apoiar essa resolução.

Na semana passada, assim que Donald Trump anunciou a decisão de mudar a embaixada americana de Tel Aviv, para Jerusalém, A ONU realizou uma reunião de emergência do Conselho de Segurança e todos os membros criticaram a decisão.

VEJA TAMBÉM
"Precisamos admitir que odiamos uns aos outros", diz pastor americano sobre diferenças políticas e teológicas

Para os países que fazem parte do conselho, a decisão americana viola resoluções anteriores assinadas na ONU, por Jerusalém faz parte das negociações de um acordo entre israelitas e palestinos.