Da Redação JM Notícia 

O vereador Júnior Geo lutou contra o gasto excessivo do dinheiro público e votou contra os aumentos dos tributos como o IPTU

A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o próximo ano é uma das várias pautas pendentes que devem ser votadas na Câmara Municipal de Palmas antes do término do ano.

A agenda legislativa se encerrou na última quinta-feira (14), mas os vereadores estão apostos esperando a convocação do presidente da Casa, Folha Filho (PSD), para votar nos assuntos pendentes.

Nesta quarta-feira (20), por exemplo, os vereadores foram convocados para uma sessão extraordinária, que até o final da tarde não tinha acontecido. Uma nova convocação deve ser feita para completar os trabalhos.

Folha culpa os vereadores pelos atrasados, mas alguns deles se manifestam dizendo que a culpa é da base do governo. Quem concorda com essa afirmação é o vereador professor Júnior Geo (PROS) que vê a redução da base aliada como motivo para a LDO não ter sido pautada pelo presidente da Câmara.

Através de sua assessoria, Geo explicou que o atrasar das pautas pelo presidente da Câmara, e membro da base aliada do prefeito, se deu após a saída de um dos integrantes da base para a oposição. Agora são nove na base governista e 10 na oposição, diminuindo o poder de voto do Executivo na Casa de Leis.

VEJA TAMBÉM
Em encerramento de campanha em Palmas, Pr. Accioly destaca a vinda de Jesus

O vereador explica que mesmo com as festas de fim de ano se aproximando, todos os vereadores estão dispostos a trabalhar e discutir esses temas importantes que são necessários para o bem da cidade.

“Essas leis de importância e urgência para o nosso município, com o tempo devido de apreciação, estão com todos os trâmites prontos para votarmos de acordo com o que beneficie a sociedade e não o interesse de poucos. Aguardamos a organização para deliberarmos”, afirma.