Da Redação JM Notícia

Nesta quinta-feira (21) os países membros da Organização das Nações Unidas (ONU) realizou uma Assembleia Geral para votar uma resolução que condena o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel.

A decisão dos Estados Unidos em mudar sua embaixada para Jerusalém tem gerado grandes impasses diplomáticos, tanto que o presidente americano Donald Trump ameaçou cortar ajuda financeira dos países que votarem contra Israel.

Mas mesmo com as ameaças os EUA perderam, dos 193 países, 128 votaram a favor da resolução, entre eles o Brasil que mais uma vez vota contra Israel e a favor dos palestinos.

Apenas nove países votaram contra: Guatemala, Honduras, Ilhas Marshall, Micronésia, Nauru, Palau, Togo, Estados Unidos e Israel.  E 35 países se abstiveram da votação, entre eles Argentina, Austrália, Canadá, Croácia, Colômbia, Hungria, Letônia, México, Filipinas, Panamá, Paraguai, Polônia e República Tcheca.

Com a decisão, a embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, ameaçou: “Esse dia será lembrado”. Os EUA não irá esquecer os países que votaram a favor da resolução e prometeu colocar a embaixada em Jerusalém, mesmo com os protestos.

VEJA TAMBÉM
Taxa de desemprego em capitais deve subir de 6,9% para 10,5%

“A América colocará nossa embaixada em Jerusalém”, disse. “Nenhum voto nas Nações Unidas fará qualquer diferença nisso”, completou Haley.