Da Redação JM Notícia

Vereador Folha Filho, presidente da Câmara de Palmas (PSD)

O presidente da Câmara de Palmas, vereador José do Lago Folha (PSD), está sendo acusado pelos demais vereadores da Casa de Leis, de segurar a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Até está quarta-feira (27), o presidente Folha Filho não tinha pautado à LDO.

Devido a postura do vereador Folha Filho em não pautar à LDO, na manhã desta quarta-feira (27) 10 vereadores protocolaram ofício que convoca a presidência e demais vereadores para Sessão Extraordinária no próximo dia 29, às 15 horas, para deliberar os processos que estão trancando a pauta e aprovar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).
Segundo o presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação, essa atitude de 10 parlamentares, mostra a insatisfação do parlamento com o presidente Folha Filho:
Diogo Fernandes, vereador de Palmas

“Não podemos ter uma gestão que respeita a pauta somente em assuntos de interesse próprio e do executivo, chegou o ponto de termos que utilizar do Regimento Interno da Casa para poder fazer nosso trabalho” disse Fernandes.

VEJA TAMBÉM
Jornalista Heraldo Pereira ministra palestra em encontro político em Palmas
O ofício dos 10 parlamentares esclarece a legalidade na convocação quando subscrita pela maioria dos vereadores e cita a relevância da deliberação e consequente votação da LDO para o andamento dos trabalhos da Casa, uma vez que depois de concluída esta etapa, será necessária ainda apreciação e votação da LOA que permitirá a adequação do orçamento para o próximo ano.
SEM MAIORIA

Segundo apurado pelo JM Notícia, como o prefeito Carlos Amastha (PSB) perdeu a maioria na Câmara, ele está tentando cooptar pelo menos um voto dos vereadores independentes para aprovar à LDO, o remanejamento do orçamento de 20%. No entanto, os 10 vereadores independentes ao Paço Municipal, querem aprovar 5%.

“O presidente da Câmara, Folha Filho, ele defende a proposta de 20% de remanejamento, e nós, os vereadores independentes propomos 5%.”, disse Diogo Fernandes ao JM Notícia.

De acordo com Fernandes, a proposta de 5% é para que não aconteça o que aconteceu este ano: “Tirar dinheiro de recursos da saúde para investir em eventos, por isso, queremos acompanhar de perto essa aplicação de recursos”.

VEJA TAMBÉM
Lúcio Campelo cobra investimentos da Prefeitura nas regiões Norte e Sul de Palmas

O JM Notícia tentou ouvir o presidente da Câmara de Palmas, Folha Filho, mas as ligações não foram atendidas.

COMPARTILHAR