Da Redação JM Notícia

Nesta terça-feira (2) o parlamento israelense aprovou um projeto de lei que impede a divisão de Jerusalém, cidade que tem a região oriental reivindicada pelos palestinos que desejam criar um estado e colocar parte da cidade como sua capital.

O projeto teve 64 votos favoráveis e 51 contrários, a proposta é que qualquer cessão de uma parte de Jerusalém aos palestinos necessita ser aprovada por dois terços do parlamento israelense.

De autoria de um deputado do partido nacionalista Lar Judeu, o texto aprovado permite modificar a definição “municipal” de Jerusalém, de forma que alguns setores da cidade sejam “declarados como entidades separadas”.

Com a aprovação desse projeto, os palestinos terão dificuldades em conseguir dividir a cidade e ficar com a região onde estão os templos de maior importância para as três maiores religiões monoteístas do mundo: Judaísmo, Cristiano e Islamismo.

O Monte das Oliveiras, a Cidade Velha e a Cidade de David continuarão sendo nossos para sempre”, escreveu no Twitter o ministro da Educação Naftali Bennett, líder do Lar Judeu. “Garantimos a unidade de Jerusalém”, declarou.

VEJA TAMBÉM
Jair Bolsonaro confessa Jesus Cristo e se batiza no rio Jordão; assista

A decisão do parlamento é tomada mediante aos conflitos causados pela decisão do presidente americano Donald Trump de reconhecer Jerusalém com capital de Israel. A ONU já se colocou contra tal decisão e tem tentado impedir que os Estados Unidos mudem sua embaixada de Tev Aviv para Jerusalém.